Páginas

Seguidores

Marcadores

Amigas (9) Blogando... (3) Brasil (4) Cidade (1) Citaçáo (1) DVDs (1) Enquete (1) Família (4) Felipe (2) Férias (1) Festas (4) Filhos (13) Filme (3) Filmes (2) Filosofando (10) Livros (27) Mãe (8) Mulher (7) Música (5) Pai (5) Pausa... (1) Pedro (20) Pensamento (2) Pensando... (21) Piada (2) Poesia (2) Política (9) Refletindo... (40) Tina (1) Viagem (11) Vovó (4)

sexta-feira, 31 de julho de 2009

"Amigo urso!"

Adoro os ursos, não sei o motivo dessa expressão que ironiza esses animais, mas para nossos políticos fedidos, é o que me vem na memória .
Pensei dias atrás que adoraria ler uma manchete assim:
O "bonitão" abandonou o "amigão" alhures! E lí, com outras palavras, mas lí.
E infelizmente não gostei. Não era nada disso que eu queria, de coração. Eu gostaria de ver e ler que nossos políticos tinham sofrido uma mudança, e que agora a ética e o respeito estavam dando as caras. Grande ilusão, continua tudo "como dantes no quartel de abrantes".
Agora ele diz que não votou no "amigo", que ele não tem culpa de nada e todas aquelas baboseiras que estão sempre por aí, prá alguém poder ler e se irritar.
Os conchavos armados e a safadeza embutida nesses hipócritas, me dá uma sensação de "mãos amarradas" que me deixam muito triste. Ao mesmo tempo, saber que para mudar "o rumo dessa prosa" vai ser difícil, mas não impossível, já me dá um ânimo danado!
Será que tenho "perdido" minutos preciosos dos meus dias escrevendo para Jornais e Revistas, falando e discutindo com amigos, família, na academia, na faculdade, etc??? No fundo, penso que não.
Vão surtindo alguns frutos aqui e alí, ouço alguém tão ou mais indignado ainda, e assim vamos desfraldando bandeiras e preparando o coração p/ muitas emoções!

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Otimista

Uma das minhas características marcantes é esta: sou otimista "de carteirinha", às vezes irrito a galera, que me acha exagerada. Mas não me incomodo, sou assim mesmo e vou em frente.
Se um problema tiver 1% de chance de ser resolvido, dou 100% do meu esforço para que o resultado seja o esperado; se não foi, mas ainda resta um fio de esperança, não desanimo, e recomeço.
O porquê de revelar esse dom, pelo qual agradeço a Deus todos os dias é o meu estado atual: assustada.
Isso mesmo, estou completamente assustada, perplexa, escandalizada e indignadíssima com a pouca vergonha escancarada da política desse país, que me envergonha tanto que chega a me impedir de considerá-lo "meu país".
São escândalos e mais escândalos! Dos vereadores da pequena cidade ao "bonitão do palácio da alvorada", não tem um só dia que passa sem uma vergonhosa ação. Não tem mais limite a corrupção dessa gente.
E nós, os brasileiros, essa gente (otimista) que rala muito, que não tem saúde, segurança, nem educação pública, mas paga os maiores impostos do mundo, e que no final de semana, reúne os amigos, faz seu churrasquinho, toma "umas", reclama de algum fato, e segue rindo (será otimismo?). Do quê????
As eleições do próximo ano estão chegando. Oxalá eu consiga fazer com que meu ínfimo 1% de esperança nesse país se transforme em 100% de esforço, e que o meu otimismo me ajude a arregaçar as mangas, e contribuir de alguma forma para uma transformação.
Já sei que não vai ser nada fácil, mas o que mais bate na minha otimista consciência é essa pergunta constante:
Que país deixarei para a próxima geração? O que estou fazendo de concreto para ajudar os jovens e aqueles que ainda estão por vir? Será que posso trocar o "eu" por "nós"???
Vou continuar com essas reflexões, ah como vou!!!

terça-feira, 14 de julho de 2009

Bom Dia!

Prá mim, este é o cumprimento mais fantástico que existe! Adoro dar e receber "Bom Dia"!

Quando iniciamos um curso de línguas, esta é uma das primeiras aprendizagens: good morning, buon giorno, buenos dias, bonjour...

Posso oferecer BOM DIA, BOM DIA, BOM DIA, BOM DIA e BOM DIA! E posso receber em troca qualquer um desses "tipos", mas normalmente ofereço sempre o primeiro, em alto e bom som (Boa Tarde e Boa Noite acompanham o mesmo raciocínio, mas o nascer de um novo dia, para mim, é o verdadeiro presente de Deus).

E o que significa o "bom dia"? Que desejo à pessoa que ela tenha um bom dia, que tudo corra bem, que o dia seja como ela imaginou, que seu dia, enfim, "seja bom o bastante"???

É claro que sim, e na maioria das vezes recebemos além das palavras, um sorriso, ou apenas ele, e algumas vezes, uma cara de espanto; em outras, nenhum sinal de concordância, é a famosa "cara fechada"! Às vezes, quando o nosso "bom dia" depara-se com essa tal da "cara feia", pensamos: " que cara antipático (a), tá de mal com a vida, dormiu descoberto..."

Mas além disso, penso que existe uma atitude muito maior implícita nesse "bom" , separado do "dia", e ao mesmo tempo tão unido: BOMDIA - B O M D I A.

O cumprimento QUE FAÇO E RECEBO está desejando sutilmente que o outro seja "bom" e que eu também seja "bom", ou no meu gênero, que eu seja "boa", boa mãe, boa filha, boa amiga, boa esposa, boa sogra, boa nora, boa cunhada, boa madrinha, boa tia, boa profissional, boa vizinha, boa cidadã, boa motorista, boa aprendiz, boa professora, boa cidadã...Boa, simplemente boa, e nem preciso galgar "o degrau de ótima ou excelente", boa tá de bom tamanho; como diz Winnicott "...suficientemente boa...", ser boa para este dia que está APENAS começando, e que eu posso transformá-lo quando assumir a atitude de ser APENAS "boa".

Um segredo: meu coração transborda de alegria quando meus filhos me ofertam um delicioso "BOM DIA", e mais ainda, quando vi e ainda vejo essa mesma OFERTA, ser doada por eles ao porteiro do prédio, aos amigos, às avós, à diarista, ao padeiro, ao motorista, ao entregador...outro presente de Deus!

Desejo a todos um BOM DIA!

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Não sou apenas espectadora da Vida...

"Já perdooei erros quase imperdoáveis,
tentei substituir pessoas insubstiruíveis e
esquecer pessoas inesquecíveis.
Já fiz coisas por impulso,
já me decepcionei com pessoas quando nunca pensei me decepcionar,
mas também decepcionei alguém.
Já abracei pra proteger do mundo.
Já dei risada quando não podia, fiz amigos eternos, amei e fui amado, mas também
já fui rejeitado, fui amado e não amei.
Já gritei e pulei de tanta feleicidade, já vivi de amor e fiz juras eternas,
"quebrei a cara por muitas vezes".
Já chorei ouvindo música e vendo fotos,
já liguei só para escutar uma voz,
já me apaixonei por um sorriso.
Já pensei que fosse morrer de tanta saudade,
e tive medo de perder alguém especial ( e acabei perdendo!).
Mas vivi! E ainda vivo!
Não passo pela vida...e você também não deveria passar!
Viva!!!
Bom mesmo é ir à luta com determinação, abraçar a vida e viver com paixão,
perder com classe e vencer com ousadia,
porque o mundo pertence a quem se atreve e a vida é MUITO
para ser insignificante."
Gostaria muito de ter escrito esta maravilha de 'texto-poesia"; recebi há tempos como sendo do Chaplin, e resolvi compartilhar. Penso que pelo menos uma vivência dessas, todos tivemos. Eu, sinceramente, tive e tenho muitas delas.
Não tenho idéia do título, coloquei a meu "bel prazer".

terça-feira, 7 de julho de 2009

Café com açúcar

Com este singelo nome foi batizado nosso grupo de leitura semanal, que completou 3 meses. Somos hoje seis amigas muito entrosadas, mas esse número pode crescer, pois "sempre cabe mais uma" ! É uma das minhas atuais alegrias. Gosto dessa "re -união" p/ caramba!

Estamos lendo em "con-junto" sem pressa nenhuma,"A Idade dos Milagres", de Marianna Williamson. É uma experiência no mínimo incrível fazer uma leitura em grupo. Refletimos um parágrafo, uma frase, e às vezes ficamos empactadas com a "música" de um capítulo (todos os capítulos são de títulos de músicas conhecidas; o primeiro é "The long and winding road", dos Beatles. A autora é sensível demais!). O livro valoriza a mulher que está chegando à maturidade...e de que modo ela responderá a essa fase da vida...enfim, se ela vai envelhecer com pouca graça ou com muito entusiasmo!

E o que vai acontecendo com nossos sentimentos no decorrer da leitura é que faz todo o sentido. Está sendo de uma riqueza ímpar, e os laços da amizade vão se estreitando de uma tal forma, que quando não é possível "re unirmos" na semana por algum motivo, sentimos uma falta que beira ao insuportável (ficamos ligando uma para a outra, passando e mail, "mas COMO ASSIM não vamos nos encontrar?????"...)!

Não somos pioneiras, existem outros grupos que já fazem o mesmo; mas percebemos com muito encanto o quanto que somos capazes de transformar, de refletir, de melhorar, de pensar, de falar, de somar, de dividir, de chorar, de rir , de compartilhar, e principamente de OUVIR !

Ouvir e prestar atenção naquilo que cada uma extai da leitura, ouvir com o coração o que brota através do entendimento e da reflexão. É uma experiência nova, silenciosa, maravilhosa, inquietante e que faz perpetuar a delícia de ser mulher!











Livros, meu relax n. 1:2016,2015,2014,2013, 2012, 2011, 2010 , 2009

  • Vivências de um psicanalista
  • Um sentido para a vida
  • Sobre a amizade e outros diálogos
  • Segredos e atalhos do iPad - 2011
  • Quase tudo
  • Putz, virei minha mãe!
  • Purgatório
  • Psicanálise dos Milagres de Cristo - 2011
  • Poemas completos de Alberto Caieiro
  • Pense Magro
  • Pensar é transgredir
  • Os catadores de conchas
  • O show do eu
  • O mundo pós-aniversário
  • O monge e o executivo
  • O menino do pijama listrado
  • O livro das ignorãças
  • O livro da sabedoria
  • O estrangeiro
  • O caçador de pipas
  • O brincar e a realidade
  • No divã do Gikovate
  • Niketche - 2011
  • Nietzsche para estressados - 2011
  • Na presença do sentido
  • Millenium
  • Mentes Perigosas
  • Memórias das minhas putas tristes
  • Me larga!
  • Marley e eu
  • Mamãe, posso namorar pelado?
  • Mamãe e o sentido da vida - 2011
  • Longe daqui
  • Leite derramado
  • Ilha Deserta - Livros
  • Ilha Deserta - Filmes
  • Histórias das minhas putas tristes
  • Hamlet
  • Freud - Vol.XIV - 2011
  • Freud - Vol. XXIII
  • Freud - Vol. XXII - 2011
  • Freud - Vol. XXI
  • Freud - Vol. XVIII - 2011
  • Freud - Vol. XVII
  • Freud - Vol. XIX - 2011
  • Freud - Vol. XII
  • Freud - Vol. XI
  • Freud - Vol. VII
  • Freud - Vol. V - 2012
  • Freud - Vol. IX
  • Fora de mim - 2011
  • Família de alta perfomance
  • Fadas no divã, Diana L. Corso e Mario Corso
  • Fadas no divã
  • Eu sei que vou te amar
  • Enquanto o amor não vem
  • Doidas e santas
  • Divã
  • De frente para o Sol - 2011
  • Crime e castigo
  • Conversas sobre terapia
  • Contra um mundo melhor -2011
  • Comer,rezar,amar
  • Cartas a um jovem poeta
  • Caim
  • As pequenas memórias
  • As intermitências da morte
  • Amor é prosa, sexo é poesia
  • Alter Ego
  • Agape - 2011
  • Aforismos - 2011
  • A trama do equilibrio psiquico
  • A sabedoria dos mitos gregos - Aprender a Viver II - 2011
  • A sabedoria da vida
  • A idade dos milagres
  • A história de Edgard Sawtelle
  • A doçura do mundo - 2011
  • A cidade do sol
  • A Cabana
  • 2016-Verdades e Mentiras, Cortella, Dimenstein, Karnal e Pondé
  • 2016-Pressentimentos e suspeitas, Ivo Storniolo
  • 2016-O poder do discurso materno, Laura Gutman
  • 2016-O oitavo selo, Heloisa Seixas
  • 2016-O ano do pensamento mágico, Joan Didion
  • 2016-Mulheres de cinza, Mia Couto
  • 2016-Freud, obras completas, vol. 18
  • 2016-Felicidade ou Morte, Clovis de Barros Filho e Karnal
  • 2016-Enclausurado, Mc Ewan
  • 2016-Dias de abandono, Elena Ferrante
  • 2016-Depois a louca sou eu, Tati Bernardes
  • 2016-Como eu era antes de você, Jojo Moyes
  • 2016-Ah, que bom que eu sei, Brugitte Gross e Jakob Scheneider
  • 2016-A Peste, Albert Camus
  • 2016-A noite do meu bem, Ruy Castro
  • 2016-A felicidade é fácil , Edney Silvestre, Segunda Leitura
  • 2016-A árvore familiar, Denny Johnson
  • 2016-A alma imoral, Nilton Bonder
  • 2016- O livro dos insultos, H.L. Mencken
  • 2015-Tomar a vida nas próprias mãos , Gudrun Burkhard
  • 2015-Pimentas, Rubem Alves
  • 2015-Pequeno tratado das grandes virtudes - André Comte-Sponville
  • 2015-Pai rico pai pobre - Robert T. Kiyosaki
  • 2015-Os amigos, Hamlet L. Quintana
  • 2015-Onde foi que eu acertei? Francisco Daudt
  • 2015-O sol é para todos", Harper Lee
  • 2015-O que a vida me ensinou, Mario Cortella
  • 2015-O incolor Takurukami..., Haruki Murakami
  • 2015-O brilho do bronze, Boris Fausto
  • 2015-Numero Zero, Umberto Eco
  • 2015-Na berma de nenhuma estrada, Mia Couto
  • 2015-Interpretação e manejo na Clínica Wiicottiana, Ela O. Dias
  • 2015-Dom Quixote, Miguel de Cervantes
  • 2015-Diga aos lobos que estou em casa, Carol R. Brunt
  • 2015-Criaturas de um dia, Irvin Yalom
  • 2015-Como envelhecer, Anne Karpf
  • 2015-As pequenas virtudes, Natalia Ginzburg
  • 2015-A visita cruel do tempo, Jennifer Egan
  • 2015-A mágica da arrumação , Marie Kondo
  • 2015-A grande arrete de ser feliz, Rubem Alves
  • 2015-A filosofia de Rudolf Steiner e a crise dompensamento contemporâneo, Andrew Welburn
  • 2015- Pensar bem nos faz bem, M. S. Cortella
  • 2015- Nao nascemos prontos, M. S. Cortella
  • 2014-Uns cheios, outros em vão, Heloísa Seixas
  • 2014-Um rio chamado tempo, uma casa chamada terra, Mia Couto
  • 2014-Totem e Tabu, S. Freud
  • 2014-Textos de Winnicott
  • 2014-Textos de Pichon Riviere
  • 2014-Textos de Grupos, uma visáo psicanalítica
  • 2014-Textos de Bion
  • 2014-O segredo do meu marido, L . Moriestay
  • 2014-O retrato de Dorian Gray, Oscar Wilde
  • 2014-O nome próprio, Francisco Martins
  • 2014-O fotógrafo, Cristóvão Tezza
  • 2014-Fim, Fernanda Torres
  • 2014-Ensaio sobre a mentira, José Outeiral
  • 2014-Do universo à jabuticaba, Rubem Alves
  • 2014-Conhece-te a ti mesmo, José Outeiral
  • 2014-Adultescer, J. Outeiral
  • 2014-A revolta do corpo, Alice Miller
  • 2014-A festa da insignificância, Milan Kundera
  • 2014-A Ciranda das Mulheres Sábias, Clarissa P. Estés
  • 2014-1Q84, Vol. IIIHaruki Murakami
  • 2013 - Voce já pensou em escrever um livro?
  • 2013 - Subliminar
  • 2013 - Sr. Psicólogo, diga-me como ser feliz
  • 2013 - Por que você é minha - I
  • 2013 - Por que você é minha - II
  • 2013 - Por favor, cuide da mamãe
  • 2013 - Os quatro vínculos
  • 2013 - O Rabino e o Psicanalista
  • 2013 - O psicanalista vai ao cinema
  • 2013 - O oceano no fim do caminho
  • 2013 - O fio das missangas
  • 2013 - Nu, de botas.
  • 2013 - Inferno
  • 2013 - Filosofando no Cinema
  • 2013 - Elogio da mentira
  • 2013 - A vida que vale a pena ser vivida
  • 2013 - A graça da coisa
  • 2013 - A arte de amar
  • 2013 - 1Q84 Vol. II
  • 2013 - 1Q84
  • 2012 - Se eu fechar meus olhos agora
  • 2012 - Rimas de Vida e de Morte
  • 2012 - Profissão: Bebê
  • 2012 - Os sentidos da vida
  • 2012 - O retorno do jovem príncipe
  • 2012 - O clube do filme
  • 2012 - O amor companheiro
  • 2012 - Mulher Desiludida
  • 2012 - Fragmentos Clínicos de Psicanálise
  • 2012 - Feliz por nada
  • 2012 - É tudo tão simples
  • 2012 - Depressão:dos sintomas ao tratamento
  • 2012 - Como manter a mente sã
  • 2012 - Como deixar de ser gordo
  • 2012 - Como amar uma criança
  • 2012 - A queda
  • 2012 - A poesia do encontro
  • 2012 - A felicidade é fácil
  • 2012 - A elegância do ouriço
  • 2012 - A criação, segundo Freud