Páginas

Seguidores

Marcadores

Amigas (9) Blogando... (3) Brasil (4) Cidade (1) Citaçáo (1) DVDs (1) Enquete (1) Família (4) Felipe (2) Férias (1) Festas (4) Filhos (13) Filme (3) Filmes (2) Filosofando (10) Livros (27) Mãe (8) Mulher (7) Música (5) Pai (5) Pausa... (1) Pedro (20) Pensamento (2) Pensando... (21) Piada (2) Poesia (2) Política (9) Refletindo... (40) Tina (1) Viagem (11) Vovó (4)

sábado, 30 de janeiro de 2010

A gente é o que a gente gosta!

Cheguei ao blog da Martha Medeiros "por acaso", será??? Adoro suas crônicas, contos e livros, e fiquei feliz ao encontrá-la no mundo dos blogs.
Num post, ela sugere que somos nossa comida preferida, os cantores e escritores que curtimos, as roupas que vestimos, a estação do ano preferida, as cidades que nos encantam...
Adorei a idéia, aceitei o convite e insisto para que arrisquem também, se quiserem, é claro!


Sou verão, disparado. E também primavera. Sou pouco outono e quase nada inverno.

Sou música. Sou Chico e Caetano. Sou Gal, Rita, Roberta Sá, Marisa Monte, Viníciuse e Toquinho. Sou completamente Tom. Sou samba-canção e sambão. Sou Roberto. Sou Beatles, Paul, Sinatra. Sou Mozart e Beethoven. E tantos.

Sou feijoada, lombo, pão, queijo, salada. Sou camarão e peixe. Sou legumes e verduras. Sou filé com tudo. Sou sorvete, cachorro-quente e frutas. Sou salgado. Sou doce. Sou um poco mais salgado.

Sou livros. Sou Fernando Pessoa. Sou Freud. Sou Yalom. Sou Saramago. Sou Cony. Sou Matha. Sou Jabour. Sou Nelsinho. Sou Veríssimo. Sou Jorge Amado. Sou G. Rosa, M. Assis. Sou "escritores a vista". Sou muitos e outros tantos.

Sou coca-cola. Sou água. Sou Sol e praia. Sou Ilha do Cardoso. Sou interior. Sou N. York e Orlando. Sou Veneza, Rio de Janeiro, São Paulo, Paris, Viena, Londres, Groningen... Sou Rio Preto. Sou cosmopolita.

Sou CDs. Sou jornais. Revistas. Internet. Sou pouco TV. Sou muito filmes, cinema e DVD. Sou teatro. Sou música. Sou MPB.

Sou preto e branco. Azul. Verde. Vermelho. Sou cabelo armado. Sou jeans. Sou ar condicionado. Sou carro. Não sou bike. Sou a pé. Sou hidrantes. Sou caminhada. Sou muitos banhos. Sou calor. Sou academia.

Sou falante. Sou mais dia que noite, já fui o contrário. Sou flor. Sou música e silêncio.Sou mais cerveja que vinho. Sou mais champagne que caipirinha. Sou mais pizza que banquete. Sou esmalte vermelho. Sou lápis preto no olho. Sou batom escuro. Sou vitamina. Sou casa confortável. Sou luz forte. Sou protetor solar. Sou mulher. Sou esposa. Sou família. Sou amigos. Sou mãe. Sou sonho. Sou eu mesma.

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

O importante é o que voce espalha...

...e não o que voce junta!

Recebi um e mail hoje que terminava assim. Tocou no fundo da minha alma e fiquei perplexa, pensando na provocação dessa frase.

Juntei mais ou espalhei mais?

Juntei mais o que?

Espalhei mais o que?

Por que isso e não aquilo?

Aonde espalhei?

Por que juntei?

Quem atingi?

E quem não viu?

Sim, claro, pensei também nas coisas materiais, mas a reflexão viajou profundamente pelos sentimentos, pelas amizades, pela família...

Interessante, muito interessante.



quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Escândalo na política!

Não suporto mais tanto escândalo! Enchi completamente desses imbecís que estão nas paradas!
O que fazer, para que aconteça ou mude alguma coisa? Onde gritar ou denunciar? Pra quem denunciar? Arruda, Sarney, o prefeito da minha cidade: Valdomiro, o presidente do país, os vereadores, os senadores, os suplentes...??????
Não sei, não sei e NÃO SEI! É tanta mentira, omissão e falcatrua que me esgotei.
Nada muda, leio as mesmas baboseiras de sempre, ou melhor, cada dia piora um pouco mais. E hoje passou dos limites!
O presidente dessa República, ganhou o título de Estadista Global do Fórum de Davos! NÃO ACEITO! É aquele título que ele e a patota toda do PT, odiavam até pouco tempo, pois diziam ser o símbolo do capitalismo selvagem. Indignada e solidária a Clóvis Rossi, também queria saber se o outro fórum, o Social, daria prêmio semelhante a ele.
As eleições estão aí, e a baixaria total também. Será que algo vai mudar? Será que esta corja vai continuar? Votaremos conscientemente, analisando friamente os candidatos, e escolhendo esses representantes com a razão? Apesar do meu otimismo, não encontro nenhuma resposta positiva.
Basta, por hoje. Cansei.

sábado, 16 de janeiro de 2010

AQUELA MULHER

Zilda Arns foi aquela mulher, a mulher que fez de um simples gesto, "uma atenção especial às crianças desnutridas e gestantes pobres", derrubar o índice de mortalidade infantil nos países pobres. Por isso, estava no Haiti, e não por isso, foi vítima do terremoto.
Segundo ela, seu objetivo de vida partiu do Evangelho de Jesus, mais especificamente, da "multiplicação dos pães", e resolveu imitá-lo.
Em um país onde a maioria imita aqueles, que que tem como referência a "lei de gérson", a esperteza, a corrupção, "o rouba mas faz", a falta de respeito e da ética, a ganância, o poder, a falsidade, e um milhão de etc, aquela mulher vai fazer falta. Ninguém é insubstituível, mas alguns são imprescindíveis e inesquecíveis, e Zilda foi uma delas. Médica pediatra, era mais conhecida como Dona Zilda. Seu método foi adotado por muitos países, e o resultado surpreendia. Pensava primeiro em "recursos humanos", pessoas disponíveis para arregaçar as mangas e enfrentar a pobreza e a falta de informação; subia morros, e subiu o país, chegando a todo canto, sempre sorridente e pronta para uma ajuda desinteressada.
No lançamento do Fome Zero, discordou de exigir dos beneficiários comprovantes de gastos em alimentos, penso que acreditava naquelas pessoas tão sofridas. Publicou um artigo na Folha, "Fôlego para o Fome Zero": "...A política social não deve estar sujeita à política econômica. É hora de mudar esse paradígma. É a política econômica que deve estar sujeita ao combate da fome e à miséria. Erradicar os comitês gestores seria um grave erro, por destruir uma capilaridade popular que fortalece o empobrecimento da sociedade civil;(...) por reforçar o poder de prefeitos e vereadores que nem sempre primam pela ética e pela lisura no trato com os recursos públicos. O governo não deve temer a parceria da sociedade civil, representada pelos comitês gestores." O seu apelo não foi ouvido, e os comitês foram erradicados.
O governo continua imune ao contágio da integridade de Dona Zilda.
Resta-nos a dignidade dessa mulher e a certeza de que ações voluntárias e comunitárias são o caminho para um mundo melhor. Oxalá aquela mulher seja um ícone de imitação.
OBS: Alguns dizeres foram baseados no texto de Frei Betto, publicado na Folha, dia 14/01/10, Zilda Arns, a mãe do Brasil.


domingo, 10 de janeiro de 2010

Beethoven

Um filme que massageia a alma. Choro quase o filme todo, e ao mesmo tempo sinto a presença de Deus coladinha em mim. Por que? Porque sei que uma das formas de comunicação Dele é através da música, e com a clássica Ele me atinge diretamente na alma. A Nona Sinfonia de Beethoven é a minha preferida, apesar do Mozart me deixar nas nuvens ( além de outros compositores, of course!).
Respiro música, cada dia um estilo, um compositor, um cantor, um gênero, etc, e assim vou vivendo feliz pela vida, deixando que ela me leve...(com sua licença, Zeca!).
Nesse filme a cena mais emocionante para mim, é quando ele rege com surdez total, uma orquestra e um coral, justamente a "Nona"; fiquei em êxtase por uns momentos, absorvendo a maravilha da cena, para ser lembrada quando necessário.

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

"Sempre ao seu lado"

Ontem fomos ver esse filme, e constatei outra vez como o simples é delicioso e encantandor. Saímos para assistir "Avatar". Lotadérrimo. Vi o cartaz desse filme, e pensei que seria triste, e não estava a fim de tristeza. Bebericamos algo no Shopping, mas a vontade de um cinema falou mais alto. "E aí, vamos arriscar?", perguntei ao marido, que concordou um pouco desanimado. Entramos sem pretensão alguma, e saímos cheios de emoção.
Uma história de lealdade e escolha, ou melhor, escolha e lealdade; singelo, sem feitos heróicos ou efeitos especiais. Simples assim.
Como foi o primeiro filme do ano na telona, quero deixar registrado. É "uma aventura emocional", apesar de ser catalogado como drama. Como sou também estimulada pela propaganda, adoro quando conquisto filmes, músicas e livros que não estão nas "hit parades", e este foi dez.

sábado, 2 de janeiro de 2010

Felicidades, filho querido, muitas felicidades!!!!

Re, Que Deus te abençoe!
Penso que não existe melhor presente do que as bençãos de Deus! E para completar, as orações da mamma...
Desejo de todo coração que sua vida seja cada vez melhor, que a dignidade seja seu escudo, que o ser ande sempre na frente do ter, que o amor permeie todo seu caminho e que sua caminhada ao lado da sua mulher e dos filhos que hão de vir, seja de respeito e de harmonia.
Você é simplesmente incrível. Quando pequenino já era admirado pela inteligência; seus pensamentos sempre foram de "gente grande", suas redações ganhavam prêmios, seus desenhos, cálculos e contas "de cabeça", nos deixavam "abobalhados"...
A simplicidade, a atenção e o carinho para com todos, sempre foram seus companheiros do dia-a-dia; não tinha "tempo ruim" com você, estava sempre disposto a ajudar, e não era capaz de pensar só em você, pensava no "coletivo".
Foi crescendo,crescendo..., e tornou-se melhor ainda (como se fosse possível!). Trouxe o que era necessário para o ser adulto, e hoje é um Homem, assim, com esse H enorme!
Poderia pontuar muito mais, mas vou optar pela discrição, e ficar por aqui. Você é também, muito discreto; não gosta de vangloriar-se, e acredito piamente, que essa qualidade é uma grande dádiva de Deus. Continue assim, meu filho; te amo muito.
Com muito carinho e amor!

Livros, meu relax n. 1:2016,2015,2014,2013, 2012, 2011, 2010 , 2009

  • Vivências de um psicanalista
  • Um sentido para a vida
  • Sobre a amizade e outros diálogos
  • Segredos e atalhos do iPad - 2011
  • Quase tudo
  • Putz, virei minha mãe!
  • Purgatório
  • Psicanálise dos Milagres de Cristo - 2011
  • Poemas completos de Alberto Caieiro
  • Pense Magro
  • Pensar é transgredir
  • Os catadores de conchas
  • O show do eu
  • O mundo pós-aniversário
  • O monge e o executivo
  • O menino do pijama listrado
  • O livro das ignorãças
  • O livro da sabedoria
  • O estrangeiro
  • O caçador de pipas
  • O brincar e a realidade
  • No divã do Gikovate
  • Niketche - 2011
  • Nietzsche para estressados - 2011
  • Na presença do sentido
  • Millenium
  • Mentes Perigosas
  • Memórias das minhas putas tristes
  • Me larga!
  • Marley e eu
  • Mamãe, posso namorar pelado?
  • Mamãe e o sentido da vida - 2011
  • Longe daqui
  • Leite derramado
  • Ilha Deserta - Livros
  • Ilha Deserta - Filmes
  • Histórias das minhas putas tristes
  • Hamlet
  • Freud - Vol.XIV - 2011
  • Freud - Vol. XXIII
  • Freud - Vol. XXII - 2011
  • Freud - Vol. XXI
  • Freud - Vol. XVIII - 2011
  • Freud - Vol. XVII
  • Freud - Vol. XIX - 2011
  • Freud - Vol. XII
  • Freud - Vol. XI
  • Freud - Vol. VII
  • Freud - Vol. V - 2012
  • Freud - Vol. IX
  • Fora de mim - 2011
  • Família de alta perfomance
  • Fadas no divã, Diana L. Corso e Mario Corso
  • Fadas no divã
  • Eu sei que vou te amar
  • Enquanto o amor não vem
  • Doidas e santas
  • Divã
  • De frente para o Sol - 2011
  • Crime e castigo
  • Conversas sobre terapia
  • Contra um mundo melhor -2011
  • Comer,rezar,amar
  • Cartas a um jovem poeta
  • Caim
  • As pequenas memórias
  • As intermitências da morte
  • Amor é prosa, sexo é poesia
  • Alter Ego
  • Agape - 2011
  • Aforismos - 2011
  • A trama do equilibrio psiquico
  • A sabedoria dos mitos gregos - Aprender a Viver II - 2011
  • A sabedoria da vida
  • A idade dos milagres
  • A história de Edgard Sawtelle
  • A doçura do mundo - 2011
  • A cidade do sol
  • A Cabana
  • 2016-Verdades e Mentiras, Cortella, Dimenstein, Karnal e Pondé
  • 2016-Pressentimentos e suspeitas, Ivo Storniolo
  • 2016-O poder do discurso materno, Laura Gutman
  • 2016-O oitavo selo, Heloisa Seixas
  • 2016-O ano do pensamento mágico, Joan Didion
  • 2016-Mulheres de cinza, Mia Couto
  • 2016-Freud, obras completas, vol. 18
  • 2016-Felicidade ou Morte, Clovis de Barros Filho e Karnal
  • 2016-Enclausurado, Mc Ewan
  • 2016-Dias de abandono, Elena Ferrante
  • 2016-Depois a louca sou eu, Tati Bernardes
  • 2016-Como eu era antes de você, Jojo Moyes
  • 2016-Ah, que bom que eu sei, Brugitte Gross e Jakob Scheneider
  • 2016-A Peste, Albert Camus
  • 2016-A noite do meu bem, Ruy Castro
  • 2016-A felicidade é fácil , Edney Silvestre, Segunda Leitura
  • 2016-A árvore familiar, Denny Johnson
  • 2016-A alma imoral, Nilton Bonder
  • 2016- O livro dos insultos, H.L. Mencken
  • 2015-Tomar a vida nas próprias mãos , Gudrun Burkhard
  • 2015-Pimentas, Rubem Alves
  • 2015-Pequeno tratado das grandes virtudes - André Comte-Sponville
  • 2015-Pai rico pai pobre - Robert T. Kiyosaki
  • 2015-Os amigos, Hamlet L. Quintana
  • 2015-Onde foi que eu acertei? Francisco Daudt
  • 2015-O sol é para todos", Harper Lee
  • 2015-O que a vida me ensinou, Mario Cortella
  • 2015-O incolor Takurukami..., Haruki Murakami
  • 2015-O brilho do bronze, Boris Fausto
  • 2015-Numero Zero, Umberto Eco
  • 2015-Na berma de nenhuma estrada, Mia Couto
  • 2015-Interpretação e manejo na Clínica Wiicottiana, Ela O. Dias
  • 2015-Dom Quixote, Miguel de Cervantes
  • 2015-Diga aos lobos que estou em casa, Carol R. Brunt
  • 2015-Criaturas de um dia, Irvin Yalom
  • 2015-Como envelhecer, Anne Karpf
  • 2015-As pequenas virtudes, Natalia Ginzburg
  • 2015-A visita cruel do tempo, Jennifer Egan
  • 2015-A mágica da arrumação , Marie Kondo
  • 2015-A grande arrete de ser feliz, Rubem Alves
  • 2015-A filosofia de Rudolf Steiner e a crise dompensamento contemporâneo, Andrew Welburn
  • 2015- Pensar bem nos faz bem, M. S. Cortella
  • 2015- Nao nascemos prontos, M. S. Cortella
  • 2014-Uns cheios, outros em vão, Heloísa Seixas
  • 2014-Um rio chamado tempo, uma casa chamada terra, Mia Couto
  • 2014-Totem e Tabu, S. Freud
  • 2014-Textos de Winnicott
  • 2014-Textos de Pichon Riviere
  • 2014-Textos de Grupos, uma visáo psicanalítica
  • 2014-Textos de Bion
  • 2014-O segredo do meu marido, L . Moriestay
  • 2014-O retrato de Dorian Gray, Oscar Wilde
  • 2014-O nome próprio, Francisco Martins
  • 2014-O fotógrafo, Cristóvão Tezza
  • 2014-Fim, Fernanda Torres
  • 2014-Ensaio sobre a mentira, José Outeiral
  • 2014-Do universo à jabuticaba, Rubem Alves
  • 2014-Conhece-te a ti mesmo, José Outeiral
  • 2014-Adultescer, J. Outeiral
  • 2014-A revolta do corpo, Alice Miller
  • 2014-A festa da insignificância, Milan Kundera
  • 2014-A Ciranda das Mulheres Sábias, Clarissa P. Estés
  • 2014-1Q84, Vol. IIIHaruki Murakami
  • 2013 - Voce já pensou em escrever um livro?
  • 2013 - Subliminar
  • 2013 - Sr. Psicólogo, diga-me como ser feliz
  • 2013 - Por que você é minha - I
  • 2013 - Por que você é minha - II
  • 2013 - Por favor, cuide da mamãe
  • 2013 - Os quatro vínculos
  • 2013 - O Rabino e o Psicanalista
  • 2013 - O psicanalista vai ao cinema
  • 2013 - O oceano no fim do caminho
  • 2013 - O fio das missangas
  • 2013 - Nu, de botas.
  • 2013 - Inferno
  • 2013 - Filosofando no Cinema
  • 2013 - Elogio da mentira
  • 2013 - A vida que vale a pena ser vivida
  • 2013 - A graça da coisa
  • 2013 - A arte de amar
  • 2013 - 1Q84 Vol. II
  • 2013 - 1Q84
  • 2012 - Se eu fechar meus olhos agora
  • 2012 - Rimas de Vida e de Morte
  • 2012 - Profissão: Bebê
  • 2012 - Os sentidos da vida
  • 2012 - O retorno do jovem príncipe
  • 2012 - O clube do filme
  • 2012 - O amor companheiro
  • 2012 - Mulher Desiludida
  • 2012 - Fragmentos Clínicos de Psicanálise
  • 2012 - Feliz por nada
  • 2012 - É tudo tão simples
  • 2012 - Depressão:dos sintomas ao tratamento
  • 2012 - Como manter a mente sã
  • 2012 - Como deixar de ser gordo
  • 2012 - Como amar uma criança
  • 2012 - A queda
  • 2012 - A poesia do encontro
  • 2012 - A felicidade é fácil
  • 2012 - A elegância do ouriço
  • 2012 - A criação, segundo Freud