Páginas

Seguidores

Marcadores

Amigas (9) Blogando... (3) Brasil (4) Cidade (1) Citaçáo (1) DVDs (1) Enquete (1) Família (4) Felipe (2) Férias (1) Festas (4) Filhos (13) Filme (3) Filmes (2) Filosofando (10) Livros (27) Mãe (8) Mulher (7) Música (5) Pai (5) Pausa... (1) Pedro (20) Pensamento (2) Pensando... (21) Piada (2) Poesia (2) Política (9) Refletindo... (40) Tina (1) Viagem (11) Vovó (4)

sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Minha Biografia

Estou terminando a minha. Que trabalho encantador.
Iniciamos em cinco mulheres, estamos finalizando em três. Quanto amor, angústia, saudade, alegria, tristeza, se fundem e se afastam.
Trabalho de Hércules, com resultados surpreendentes. Não imaginava de jeito algum que seria tão saudável.
Lavou minha alma, minha vida. Uma existência passada a limpo. Com muitos borrões que não consigo limpar, mas outros tantos mais, completamente brilhando de limpos.
A terapeuta é especial, de uma delicadeza e seriedade que nos excita. Mulher leve, mulher boa, mulher sensível.
Fui acolhida por ela na fase triste da perda da minha mamma, como se fosse minha amiga de infância. Ou como se existisse uma mãe de plantão, que estava ali prontinha para me acariciar.
Outros tempos, rimos como se fôssemos adolescentes, compartilhando apenas maluquices.
São incríveis os mistérios da amizade. Muitas amigas antigas, desaparecem, outras novinhas em folha, se encaixam nos moldes precisos. A amiga que continua na Biografia, é especial também.
Conheço-a de muito tempo, mas a amizade aconteceu agora, e foi da melhor qualidade.
Sinto-me feliz por mais essa experiência de vida sendo editada. Ponto.

terça-feira, 18 de outubro de 2016

Quinto post do ano. Credo, que mixuruquice de postagens!!!

E tudo vai passando, como se não houvesse breque algum. E não há mesmo.
O meio de Outubro também chegou. E passou.
Ainda não finalizei o apartamento da minha mamma, estou terminando. Havia uma meta, Agosto como mês final. Logo acaba Outubro, e continuo na lida, mas agora nos finalmentes.
Livros, viagens curtas, jantares, amigas, acompanham-me na certeza do hoje.
Filhos, netos e marido em destaque, a ordem inverte conforme o dia.
O smartphone não foi deixado como o planejado, infelizmente.
As amigas blogueiras também se afastaram dessa mídia, só poucas continuam. E penso ainda neste lugar como muito legal. E vamos caminhando nesta bela estrada da vida.

sábado, 3 de setembro de 2016

Dia bonito!

Toda comemoração vale a pena, e 11 anos de casamento da minha filha é uma data pra lá de especial.
Há onze anos o dia 03 começou agitado. Precisava pensar em tudo e em mais um pouco. As coisas eram mais simples que hoje, mas mesmo assim inspiravam cuidados. Cuidados gostosos, nada de exagero: almoço para os de fora, cabelo, maquiagem, manicure e pedicure, checar flores e doces, e etc.
O religioso foi as 10h, e a festa as 20:30. Um espaço longo entre os dois, mas foi tudo mágico.
Aconteceu como deveria ter sido. Sem nenhum contratempo. Pra falar bem a verdade, não me lembro de todos os detalhe, mas lembro-me do meu contentamento com tudo fluindo bem, no esperado.
O mais importante é o depois. O depois desse dia.
E hoje, de dois transformaram-se em cinco. Família unida, feliz, alegre, linda.
Uma mãe como nenhuma outra. Pai excelente. Filhos em desenvolvimento esperado.
Uma família que gosta de viver. Uma família que gostamos de ver. De conviver.
Meu carinho, e meus parabéns,

quinta-feira, 26 de maio de 2016

23/04...24/03

Nascimento e falecimento. Até na data foi caprichosa.
E geniosa. E boa. E brava. E engraçada. E firme. E guerreira. 
A última pneumonia foi muito grave. Completaria 93 anos, mas os 92 foram bem vividos.
Mesmo depois da fratura do fêmur em 30/05/15, viveu bem.
Não deu tempo de se conformar com o fato, mas conseguiu superar o pior.
Foi bem cuidada, aceitou ajuda, passeou, pouco, mas estava bem mais contente.
As irmãs a curtiram também,último Natal e Ano Novo foram bem festejados. 
Conheceu a Marina, terceira bisneta, estava muito ansiosa.
Os netos também foram sempre presentes. 
Guardo nossas boas e tristes lembranças, sentimentos ilhados.
O desvencilhar dos seus pertences está sendo muito doloroso, muito difícil. Ainda tenho muito pela frente, o ânimo não é tanto, mas terminarei, com a ajuda Dele e da Conceição.
Descanse em paz, minha mãe.

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

A inépcia no Brasil

O descaso comanda o Brasil. A maioria dos brasileiros passa por penúrias e angústias que não são contabilizadas.
Doenças, pobreza, falta de tudo, falta de pouco, falta sempre alguma coisa.
Os " donos do poder" nadam em mares esplêndidos enquanto a mídia do contra tenta atingir o alvo.
A mídia do governo trabalha para o final idealizado. 
Mentiras desagastadas passeiam livremente, como se fossem verdades.
E vamos caminhando nesse país  de absurdos, safadezas e descasos. 
Vai haver mudanças? Não sei.

domingo, 3 de janeiro de 2016

O substituto da vida,

É o título da crônica do Ruy Castro na Folha, de ontem.
Fala sobre essa febre de smartphone, e dessa loucura de redes sociais.
Esse ano vou diminuir mais um pouco, já consegui alguma coisa em 2015.
Ele substitui mesmo, e pode deixar a vida passar sem que vc veja, ou melhor, vc vê o que não precisa e desvia do melhor.
"O smartphone substituiu a caneta, o bloco, a agenda, o telefone, a banca de jornais, a máquina fotográfica , o álbum de fotos, o cinema, o DVD, o correio, a secretária eletrônica , o relógio de pulso, o despertador, o gravador, o rádio, a TV, o CD, a bússola, os mapas, a vida. É por isso que nem lhe chego perto, temo que ele me substitua também."
É preciso cuidado, principalmente com a vida. A nova e a velha.
E tem coisa mais preciosa que a vida?
Nasceu minha primeira netinha, depois de dois netos. Tempo de magia, de gratidão, de paz , de correria, de sossego, de amor. Tempo de Marina, de Pedro e de Felipe. Tempo de Patricia, de Renato e de Eduardo.
Do smartphone, queremos fotos deles e dela. E notícias, deles e dela. É assim que entrei em 2016, feliz e confiante, em dias cada vez mais vazios de smartphone e cheios de vida! 

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

As pequenas virtudes.

Livro de Natália Ginsburg, italiana nascida em Palermo em 1916, numa família de intelectuais judeus. Cresceu em Turim. Teve três filhos com o professor, editor e militante Leone Ginzburg, preso pelas forças fascistas e assassinato no cárcere em1944, aos 35 anos.
O livro é ótimo, foi indicado pela Rosely Sayao.
Retalhos de um trecho:

" No que diz respeito à educação dos filhos, penso que se deva ensinar a eles não as pequenas virtudes, mas as grandes. Não a poupança, mas a generosidade; não a prudência, mas a coragem; não a astúcia, mas a franqueza e o amor à verdade; não a diplomacia,mas o amor ao próximo; não o desejo do sucesso, mas o desejo de ser e de saber.
...A educação não é outra coisa senão um certo vínculo que estabelecemos entre nós e nossos filhos, certo clima no qual florescem os sentimentos, os instintos, as ideias.
...Na educação, o que deve estar no centro de nossos afetos é que nossos filhos nunca percam o amor à vida.
...O nascimento e o desenvolvimento de uma vocação demandam espaço, espaço e silêncio, o livre silêncio do espaço. A relação que ocorre entre nós e nossos filhos deve ser uma troca viva de pensamentos e sentimentos, mas também deve compreender largas zonas de silêncio.
Deve ser uma relação íntima, sem no entanto misturar-se violentamente com a intimidade deles; deve ser um justo equilíbrio entre silêncio e palavras.
...Devemos ser importante para nossos filhos e, contudo não demasiado importantes; devemos fazer com que gostem de nós, mas não demais; devemos manter uma relação de amizade, contudo não devemos ser excessivamente amigos, para que eles não tenham dificuldades em fazer verdadeiros amigos, aos quais possam dizer coisas que silenciem conosco.
....Devemos ser para eles um simples ponto de partida, oferecer-lhes o trampolim de onde darão o salto. E devemos estar ali para qualquer socorro, caso seja necessário; eles devem saber que não nos pertencem, mas nós, sim, pertencemos a eles, sempre disponíveis, presentes no quarto ao lado, prontos a responder como pudermos a qualquer pergunta possível, a qualquer pedido.
...Se tivermos uma vocação, se continuamos a amá-la no decurso dos anos, podemos manter longe do coração, no amor que sentimos pelos nossos filhos, o sentimento de posse.
Porém, se não a tivermos, nos agarramos aos nossos filhos como náufragos ao tronco da árvore, pretendemos vigorosamente que devolvam tudo o que lhe demos, que sejam absolutamente tais como nós os queremos, que obtenham da vida tudo o que nos faltou; queremos que sejam nossa obra em tudo, como se fossem não seres humanos, mas obra do espírito .

sábado, 19 de setembro de 2015

"E a vida, e a vida o que é meu irmão ..."

Mamma é guerreira, uma fortaleza.
Voltou ontem ao Hospital, agora com pancreatite. Estava indo bem, mas os imprevistos acontecem .
Enquanto isso, muitas coisas acontecem. Marina crescendo no ventre, esperando Dezembro chegar.
Pedro e Felipe crescendo em graça, no aconchego mais delicioso que poderiam crescer. ( Não é por nada não, mas minha filha se saiu muito muito melhor que a encomenda! Êta mãezona de fazer gosto de ver! E o Junior um paizão de marca maior!)
Renato e Eduardo meus outros dois tesouros, caminhando pela vida de peito aberto, recebendo o que de melhor a vida oferece. Que sejam sempre assim, Homens bons.(Lembrando Winni, suficientemente bons, nada mais).
Marido igual pode ser encontrado assim como agulha em palheiro, mas melhor d.u.v.i.d.o. O. D.Ó!!!!!! Amo muitooooooo! Quantos anos mesmo??? Mamma mia, não consigo fazer a conta! "Era uma vez, em Outubro de 1969, havia um pipoqueiro numa esquina da R. Bernardino de Campo, e dois jovenzinhos, alegres e felizes, resolveram..."
Livros continuam colados em mim, e tenho lido bem. Terminei ontem O Sol é para todos, de Harpper Lee, considerado um dos cem mais importantes livros do séc. XX. Gostei muito.
Iniciei o novo do Yalom, bom também. Estudo um de Filosofia do Steiner, da Antroposofia, bom.
Mulheres que correm com os lobos, permanece firme na leitura em grupo, ajuda a manter-me firme, nesta longa e desvairada vida-morte-vida-morte- vida....
"Viver e não ter a vergonha de ser feliz...."
"Deixo a vida me levar, vida leva eu.."
"Quem já passou por essa vida e não viveu..."
"Tem dias que a gente se sente, como quem partiu ou morreu, a gente estancou de repente, ou foi o mundo então que parou, mas eis que chega Roda-Viva, e carrega a viola, pra lá..."
E entre tantos Gonzaguinhas, Zecas, Vinicius, Chicos, e outras maravilhas, vou imitando-os e copiando essas  delícias de dicas do bem viver.

quarta-feira, 29 de julho de 2015

Dois meses se passaram...

...E a vida parece que não sei. Mamãe recaiu, no dia de hoje está na UTI, e eu não penso que ela esteja bem.
Meu coração está apertado, tenho esperanças sim, mas o que vejo não me traz paz, e sim, angústia. 
O que será ? O que virá? Como enfrentar ?
Sem nenhuma resposta, sem nenhuma ilusão. 
Conto com Ele, sempre. 

Uma neta vai chegar em Dezembro. É o sopro da vida que chega. É um desassossego bom. 

"E eu fico com a pureza da resposta das crianças, é a vida, é bonita e é bonita!
Viver, e não ter a vergonha de ser feliz,
Cantar e cantar e cantar a beleza de ser um eterno aprendiz..."

Livros, meu relax n. 1:2016,2015,2014,2013, 2012, 2011, 2010 , 2009

  • Vivências de um psicanalista
  • Um sentido para a vida
  • Sobre a amizade e outros diálogos
  • Segredos e atalhos do iPad - 2011
  • Quase tudo
  • Putz, virei minha mãe!
  • Purgatório
  • Psicanálise dos Milagres de Cristo - 2011
  • Poemas completos de Alberto Caieiro
  • Pense Magro
  • Pensar é transgredir
  • Os catadores de conchas
  • O show do eu
  • O mundo pós-aniversário
  • O monge e o executivo
  • O menino do pijama listrado
  • O livro das ignorãças
  • O livro da sabedoria
  • O estrangeiro
  • O caçador de pipas
  • O brincar e a realidade
  • No divã do Gikovate
  • Niketche - 2011
  • Nietzsche para estressados - 2011
  • Na presença do sentido
  • Millenium
  • Mentes Perigosas
  • Memórias das minhas putas tristes
  • Me larga!
  • Marley e eu
  • Mamãe, posso namorar pelado?
  • Mamãe e o sentido da vida - 2011
  • Longe daqui
  • Leite derramado
  • Ilha Deserta - Livros
  • Ilha Deserta - Filmes
  • Histórias das minhas putas tristes
  • Hamlet
  • Freud - Vol.XIV - 2011
  • Freud - Vol. XXIII
  • Freud - Vol. XXII - 2011
  • Freud - Vol. XXI
  • Freud - Vol. XVIII - 2011
  • Freud - Vol. XVII
  • Freud - Vol. XIX - 2011
  • Freud - Vol. XII
  • Freud - Vol. XI
  • Freud - Vol. VII
  • Freud - Vol. V - 2012
  • Freud - Vol. IX
  • Fora de mim - 2011
  • Família de alta perfomance
  • Fadas no divã, Diana L. Corso e Mario Corso
  • Fadas no divã
  • Eu sei que vou te amar
  • Enquanto o amor não vem
  • Doidas e santas
  • Divã
  • De frente para o Sol - 2011
  • Crime e castigo
  • Conversas sobre terapia
  • Contra um mundo melhor -2011
  • Comer,rezar,amar
  • Cartas a um jovem poeta
  • Caim
  • As pequenas memórias
  • As intermitências da morte
  • Amor é prosa, sexo é poesia
  • Alter Ego
  • Agape - 2011
  • Aforismos - 2011
  • A trama do equilibrio psiquico
  • A sabedoria dos mitos gregos - Aprender a Viver II - 2011
  • A sabedoria da vida
  • A idade dos milagres
  • A história de Edgard Sawtelle
  • A doçura do mundo - 2011
  • A cidade do sol
  • A Cabana
  • 2016-Verdades e Mentiras, Cortella, Dimenstein, Karnal e Pondé
  • 2016-Pressentimentos e suspeitas, Ivo Storniolo
  • 2016-O poder do discurso materno, Laura Gutman
  • 2016-O oitavo selo, Heloisa Seixas
  • 2016-O ano do pensamento mágico, Joan Didion
  • 2016-Mulheres de cinza, Mia Couto
  • 2016-Freud, obras completas, vol. 18
  • 2016-Felicidade ou Morte, Clovis de Barros Filho e Karnal
  • 2016-Enclausurado, Mc Ewan
  • 2016-Dias de abandono, Elena Ferrante
  • 2016-Depois a louca sou eu, Tati Bernardes
  • 2016-Como eu era antes de você, Jojo Moyes
  • 2016-Ah, que bom que eu sei, Brugitte Gross e Jakob Scheneider
  • 2016-A Peste, Albert Camus
  • 2016-A noite do meu bem, Ruy Castro
  • 2016-A felicidade é fácil , Edney Silvestre, Segunda Leitura
  • 2016-A árvore familiar, Denny Johnson
  • 2016-A alma imoral, Nilton Bonder
  • 2016- O livro dos insultos, H.L. Mencken
  • 2015-Tomar a vida nas próprias mãos , Gudrun Burkhard
  • 2015-Pimentas, Rubem Alves
  • 2015-Pequeno tratado das grandes virtudes - André Comte-Sponville
  • 2015-Pai rico pai pobre - Robert T. Kiyosaki
  • 2015-Os amigos, Hamlet L. Quintana
  • 2015-Onde foi que eu acertei? Francisco Daudt
  • 2015-O sol é para todos", Harper Lee
  • 2015-O que a vida me ensinou, Mario Cortella
  • 2015-O incolor Takurukami..., Haruki Murakami
  • 2015-O brilho do bronze, Boris Fausto
  • 2015-Numero Zero, Umberto Eco
  • 2015-Na berma de nenhuma estrada, Mia Couto
  • 2015-Interpretação e manejo na Clínica Wiicottiana, Ela O. Dias
  • 2015-Dom Quixote, Miguel de Cervantes
  • 2015-Diga aos lobos que estou em casa, Carol R. Brunt
  • 2015-Criaturas de um dia, Irvin Yalom
  • 2015-Como envelhecer, Anne Karpf
  • 2015-As pequenas virtudes, Natalia Ginzburg
  • 2015-A visita cruel do tempo, Jennifer Egan
  • 2015-A mágica da arrumação , Marie Kondo
  • 2015-A grande arrete de ser feliz, Rubem Alves
  • 2015-A filosofia de Rudolf Steiner e a crise dompensamento contemporâneo, Andrew Welburn
  • 2015- Pensar bem nos faz bem, M. S. Cortella
  • 2015- Nao nascemos prontos, M. S. Cortella
  • 2014-Uns cheios, outros em vão, Heloísa Seixas
  • 2014-Um rio chamado tempo, uma casa chamada terra, Mia Couto
  • 2014-Totem e Tabu, S. Freud
  • 2014-Textos de Winnicott
  • 2014-Textos de Pichon Riviere
  • 2014-Textos de Grupos, uma visáo psicanalítica
  • 2014-Textos de Bion
  • 2014-O segredo do meu marido, L . Moriestay
  • 2014-O retrato de Dorian Gray, Oscar Wilde
  • 2014-O nome próprio, Francisco Martins
  • 2014-O fotógrafo, Cristóvão Tezza
  • 2014-Fim, Fernanda Torres
  • 2014-Ensaio sobre a mentira, José Outeiral
  • 2014-Do universo à jabuticaba, Rubem Alves
  • 2014-Conhece-te a ti mesmo, José Outeiral
  • 2014-Adultescer, J. Outeiral
  • 2014-A revolta do corpo, Alice Miller
  • 2014-A festa da insignificância, Milan Kundera
  • 2014-A Ciranda das Mulheres Sábias, Clarissa P. Estés
  • 2014-1Q84, Vol. IIIHaruki Murakami
  • 2013 - Voce já pensou em escrever um livro?
  • 2013 - Subliminar
  • 2013 - Sr. Psicólogo, diga-me como ser feliz
  • 2013 - Por que você é minha - I
  • 2013 - Por que você é minha - II
  • 2013 - Por favor, cuide da mamãe
  • 2013 - Os quatro vínculos
  • 2013 - O Rabino e o Psicanalista
  • 2013 - O psicanalista vai ao cinema
  • 2013 - O oceano no fim do caminho
  • 2013 - O fio das missangas
  • 2013 - Nu, de botas.
  • 2013 - Inferno
  • 2013 - Filosofando no Cinema
  • 2013 - Elogio da mentira
  • 2013 - A vida que vale a pena ser vivida
  • 2013 - A graça da coisa
  • 2013 - A arte de amar
  • 2013 - 1Q84 Vol. II
  • 2013 - 1Q84
  • 2012 - Se eu fechar meus olhos agora
  • 2012 - Rimas de Vida e de Morte
  • 2012 - Profissão: Bebê
  • 2012 - Os sentidos da vida
  • 2012 - O retorno do jovem príncipe
  • 2012 - O clube do filme
  • 2012 - O amor companheiro
  • 2012 - Mulher Desiludida
  • 2012 - Fragmentos Clínicos de Psicanálise
  • 2012 - Feliz por nada
  • 2012 - É tudo tão simples
  • 2012 - Depressão:dos sintomas ao tratamento
  • 2012 - Como manter a mente sã
  • 2012 - Como deixar de ser gordo
  • 2012 - Como amar uma criança
  • 2012 - A queda
  • 2012 - A poesia do encontro
  • 2012 - A felicidade é fácil
  • 2012 - A elegância do ouriço
  • 2012 - A criação, segundo Freud