Páginas

Seguidores

Marcadores

Amigas (9) Blogando... (3) Brasil (4) Cidade (1) Citaçáo (1) DVDs (1) Enquete (1) Família (4) Felipe (2) Férias (1) Festas (4) Filhos (13) Filme (3) Filmes (2) Filosofando (10) Livros (27) Mãe (8) Mulher (7) Música (5) Pai (5) Pausa... (1) Pedro (20) Pensamento (2) Pensando... (21) Piada (2) Poesia (2) Política (9) Refletindo... (40) Tina (1) Viagem (11) Vovó (4)

sábado, 25 de dezembro de 2010

Natal Feliz!

O menino Pedro chegou de "lá de longe" juntinho com o Menino Jesus, e transformou minha vida e de toda família!
Estou tão feliz, mas tão feliz, que meu tempo por todo esse tempo, tem sido dedicado a ele.
Agradeço imensamente a Deus por poder sentir essa tal felicidade, e desejo que 2011 possa ser bom o suficiente, como foram 2010, 2009, 2008...todos os anos dessa vida intensa e deliciosa!

domingo, 28 de novembro de 2010

Cada um por si...

A cada dia que passa, mais e mais pessoas vão se individualizando, querendo ficar no seu mundinho, adquirindo objetos que os afaste do convívio coletivo.
Estava refletindo, e encontrei um texto do Marcelo Coelho na Folha, que falava exatamente sobre isso(dizem os "experts" em literatura, que tudo o que pensamos alguém já pensou e escreveu, e é quase impossível criar ou escrever algo absolutamente novo).
Voltando ao pensamento do cada um por si, pensei primeiramente em mim mesmo; comprei um iPad, e fiquei enlouquecida por ele. É um "aparelhinho" danado, que me faz ficar perto da família e dos amigos através das fotos e dos emails; dos livros, das músicas e das revistas, porque esses são propósitos verdadeiros dele;  a agenda e os contatos estão alí também; pode ser levado ao banheiro, na bolsa, no consultório, onde voce quiser: é leve, bonito e fácil de manusear.
Pode viajar com a gente, completamente conectado, pois ele tem tecnologia 3G, e por aí vai. Se eu deixar (ou quiser), vou ficar grudada nele, numa relação um tanto perigosa.
M.Coelho escreveu muito bem sobre a "portabilidade" e a "individualização". O exemplo dos "cupcakes" foi genial: "...é uma guloseima dos contos de fadas, com cores suaves, como o rosa-fita-de-cabelo, o azul-xampu, o branco-pompom...éle é mínimo e caro, é na verdade mais um passo na individualização da nossa vida gastronômica...; ele é acinturado, evasivo, portátil; elimina de vez o que os velhos florestas-negras evocavam de festa coletiva; uma fatia de bolo, pressupõe uma reunião em volta da mesa;... introduz, nessas muralhas de resistência afetiva, o espírito do cada um por si."
Ele termina seu interessante texto dizendo que "de coletivo, resta a pizza. Que digo?  Já exixtem à venda, as pizzas feitas como canudos de sorvetes, que se come sem ter de dar satisfação a ninguém." (Folha, Ilustrada, 24/11/10)
Eu finalizo pensando na delícia que é namorar meu marido, na convivência e nos encontros com meus filhos, com minha família e  meus amigos, com o cheiro dos meus livros e minhas revistas, com minha velha agenda, onde risco e  rabisco...e com a alegira da relação já um pouco desgastada com meu "velho amigo iPad..."

sábado, 20 de novembro de 2010

Uma Aprendizagem

ou O Livro dos Prazeres, Clarice Lispector.


Há muito não encontro um livro de cabeceira, e agora re-encontrei. Que delícia!


Quando criança, Monteiro Lobato "morava" no meu criado-mudo; ganhei a Coleção Verde do meu pai: 17 volumes! Fiquei agradecida e encantada por anos. Lia toda noite, e quando terminava um deles, sentia aquela alegria infantil indescritível; iniciava outro, com uma alegria ainda maior (e alguns "letrados" deste país estão tentando convencer aqueles que lêem, que Lobato era preconceituoso, que não deveria ser lido pelas crianças; L. Luft, F. Gullar entre outros já o defenderam sabiamente, grazie a Dio!). Lí para meus lilhos quando pequenos, eles se interessaram em ler na época do Sítio do Pica-Pau Amarelo, e esses dias, com essa polêmica em ação, reabri o "Reinações de Narizinho". Que aperto senti no peito...saudades de uma época...de uma casa...de um quarto...do meu pai!




Na adolescência tive a fase da poesia do C. de Abreu, do Neruda, do Vinícius; M. de Assis, José de Alencar, Eça de Queirós, Jorge Amado, Veríssimo, e tantos outros que eram lidos com a luz fraca do abajour.


O tempo foi andando... universidade, casamento, filhos, e novos autores foram chegando, abrindo seus espaços e fazendo parte da minha vida. Continuo rodeada por eles.




Fui conhecendo Clarice aos poucos, e agora tive um envolvimento marcante; este livro é um hino ao amor, onde uma mulher (Lóri), faz uma longa viagem ao mais profundo de si mesma e chega à consciência total de ser; um homem (Ulisses), professor de filosofia, que possui fórmulas para explicar o mundo, transforma-se em algo mais simples, um homem simples. Um livro que se fecha com dois pontos a narrativa que começara com uma vírgula.


"...existir é tão completamente fora do comum que se a consciência de existir demorasse mais de alguns segundos, nós enlouqueceríamos".

domingo, 7 de novembro de 2010

Escolher = Renunciar

Sempre que escolho algo, estou renunciando a uma outra coisa.
Não penso assim a toda hora, mas hoje... levantei-me, fiz um delicioso café e a dúvida da escolha "entrou" na cozinha: caminhar na represa com mio marito ou começar a montar a nova árvore de Natal?
"O dia está lindo, o Sol e o céu oferecendo-se inteirinhos...,mas...ah, não terei tempo pra árvore nem segunda, nem terça, nem quarta, nem quinta... mas também tá um pouco cedo p/ árvore...e o tamanho do calor que enfrentaremos???
...Será que ele vai topar a caminhada? Ou será melhor ele me ajudar com a árvore???"

A partir desta pequena dúvida, "comecei não sei porquê", a refletir... por que o que é melhor nunca é óbvio? e por que tudo, tudo o que é escolhido provoca uma renúncia????
Desde um modelo de sandália, um corte de cabelo, um livro, uma revista, uma comida, um curso,uma viagem, um programa de TV, uma saída com amigos, casa ou apartamento, um bairro, uma cidade, um país...até as escolhas mais subjetivas...Como é complicado e delimitador o resultado de uma escolha!

Li há pouco tempo "O mundo pós-aniversário". Um livro instigante e criativo onde a autora L. Shriver escreve duas vezes o mesmo capítulo, conforme a implicação da escolha de Irina McGovern; a autora vai apresentando alternativas e os resultados das escolhas. Livro de perder o fôlego.

Depois de muito "bater a cuca", concluí que o eterno "talvez " irá intrigar-me ever and ever!!!

Obs.: não sei se vou falar mais sobre política; não fiquei feliz com a escolha da nova presidente, respeito o resultado, "blá blá blá ", e escolho, por hora, essa máxima de Goethe: "a política nunca pode provocar poesia".

Obs. 2: escolhi a caminhada, e agradeci a Deus pela hora deliciosa que passei caminhando e parlando com mio amore...


quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Brevíssimo diário da vovó do Pedro!

Saí sozinha do país pela primeira vez, e desde o check in, fui fazendo tudo só...não era medo que eu sentia, mas um desconforto chato, pois adoro viajar com meu marido e filhos, mas desta feita não foi possível...
Deu tudo certo, a viagem foi excelente,"12 horas de vôo não é brinquedo", mas dormi um pouco, li, vi dois filmes, o jantar estava ruim, mas os lanches bons, e assim, "de repente", cheguei.
Em Amsterdã. Porque para chegar em Groningen, faltava o trem...
Comprei o ticket (quando estou só o inglês "deslancha que só vendo"..., thanks God), e fui gastar o tempo de espera passeando e curtindo o aeroporto que é o máximo.
Comprei Onion Rings e fiquei pensando e observando a quantidade de "nações" que passavam pelos meus olhos naquele momento, e como o mundo consegue ficar pequeno em um local assim,em como a vida é bela... e quando me dei conta, estava em cima da hora..."corre Sonica, plataforma 2"!
Assim que desci a escada, uma voz em "dutch" avisava que "rtfplhj njztfvdsa kzfrdcbm lzgrsa...", claro que não entendi nada, só sei que todos que estavam lá, saíram correndo para outra plataforma, e eu fiz o mesmo, mas sem estender porque estava fazendo, nem se era prá eu fazer o mesmo, enfim...subi a escalera e desci na outra plataforma, a hora estava passando, e assim que cheguei, olhei em volta e perguntei a uma moça com um "jeito muito simpático": Please, do you speak ENGLISH?

Eureka! A moça era Joana, uma brasileira que vive há bom tempo na Europa, e há dois anos mora sabe onde? Em Groningen...essa é uma daquelas pequenas providências divinas que Ele nos oferece todos os dias, e muita vezes nem percebemos, infelizmente.
Conversamos muito nessas 2:30hs, ela contando sobre sua vida super interessante, eu sobre a minha, que também é o máximo, e no final do papo, ela nos convidou para jantarmos na sua casa, o que foi uma delícia! Depois conto os detalhes...
Ajudou-me com a bagagem, presenciou o maravilhoso encontro das tres gerações e o meu êxtase de felicidade ao avistar minha filha e meu neto...

No dia seguinte, a Pati tinha agendado um encontro com o grupo de amigas, "as falantes de Português", grupo similar aos nossos "consórcios de amigas", e foram ver "Comer, rezar e amar"(falado em inglês e com legendas em holandês , mamma mia!). No seguinte, foi jantar com o marido, e a vovó do Pedro ficava vovozando sem parar...o neto mais lindo do mundo!!!

Volto logo ...

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Neto, Chile e "O futuro do Brasil"

Estou aqui nesta delícia de vida, curtindo meu neto o mais que posso, mas antenadinha no mundo e no Brasil! E apesar de estar "com os minutos contados" (estou só eu e o Pedro aqui em casa e ele está nanando, preciso arrumar a mala, porque amanha vamos a Barcelona, e tenho mais algumas coisinhas para fazer) resolvi comentar algumas observações dos últimos dias.
Estou extasiada com o Pedro! E vou confirmar novamente: é muito, mas muito bom mesmo ser avó! Agradeço a Deus todos os dias por ele ter me proporcionada essa graça. Oxalá eu tenha mais "um montão"de netinhos e netinhas...
O Chile deu um show de solidariedade e nacionalismo, que nos emocionou demais. Assistimos ao resgate ao vivo pela CNN, e depois pelos jornais e revistas on-line. Incrível!
Agora, incrível também está o Segundo Turno! Mamma mia!!! O presidente desesperou, a candidata surtou, e a corja toda está enlouquecida! Vou chegar para votar também, e penso na possibilidade de vitória do Serra! Tomara meu Deus, que nosso país acorde, e que de tempo de todos abrirem bem os olhos!
Sinto muitas saudades dos meus queridos...mas já já estarei de volta.
Ele está acordando...arrivederci!

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

2º Turno p/ Presidente!

Meu Deus, como adormeci feliz com essa notícia!


Foi uma bálsamo na minh´alma! Queria ser uma "mosquita", e poder voar ao redor do Lula, e sentir sua revolta (sou màzinha sim , algumas vezes rsrsrsrs!); aquele que se acha o intocável, o poderoso, o melhor presidente que esse Brasil já teve, precisava desse resultado para cair na real. Deve até ter comprado pesquisas, e foi derrotado; sim, esse resultado pra ele deve ter tido o sabor de uma enorme derrota! Como disse o Diogo Mainardi, também não quero mais falar e nem ouvir nada sobre esse cara! Logo esse nosso desejo vai ser realizado, ah, como vai!
Valeu Marina! Você foi a grande responsável pela não vitória da Dilma!


E em São Paulo? A derrocada do Mercadante, que tinha certeza do outro turno, a vitória incrível do Aluysio e a derrota do Netinho, prá mim foi o máximo!!!


Pena que tem gente que tem titica, ops, tiririca na cabeça, e talvez votou nele como protesto, e por conta disso vamos ter que aguentar o valdemar, e mais tres candidatos que patrocinaram toda a campanha dele, e foram eleitos por conta da quantidade de votos que ele conseguiu: mais de 1 milhão. A nossa luta continua...
Bye bye, hasta la vista, arrivederci!


sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Muito riso e "pouco siso"!

Passei uma semana com o maridão e mais 40 amigos, num "dolce far niente", num lugar paradisíaco, Praia do Forte, na querida Bahia; foram dias mágicos e tranquilos, onde o bom humor comandou a vida. O juízo, quando deixado de lado por um tempinho, dá vazão à criança que vive comigo, e leva a brincadeira a sério! Taí, foi mágico e revigorante. Obrigada, meu bom Deus! (Quantas sudades do Vinícius de Morais e seus poemas maravilhosos!)

Agora, volto a seriedade, e penso novamente na Eleição; Deputado Federal, Presidente e Senador, já estou certa. Deputado Estadual, ainda não. Tinha decidido, mas fui averiguar se ele havia voltado no ato médico, e fiquei surpresa: ele votou. Neca de pitibiribas: risquei da minha cola. Decidi pelo "meu suplente". Ficha limpa! Aliás, quando penso que existem eleitores que dependem de uma lei para não votar em bandidos, me dá uma tamanha dor...e continuo pensando que povo educado não é manipulado! Quando virá esse tempo, onde o voto será facultativo, mas a vontade de votar será gritante, por que teremos orgulho dos nossos candidatos? Ãh???

Bem, agora estou arrumando uma mala diferente, uma mala cheia de expecativa...estou indo para Holanda, ao encontro da vidanovanovelhomundo!

domingo, 26 de setembro de 2010

Ganhei Coragem

Texto de Rubem Alves :
"Mesmo o mais corajoso entre nós só raramente tem coragem para aquilo que ele realmente conhece", observou Nietzsche. É o meu caso. Muitos pensamentos meus, eu guardei em segredo. Por medo.
Alberto Camus, leitor de Nietzsche, acrescentou um detalhe acerca da hora em que a coragem chega:"Só tardiamente ganhamos a coragem de assumir aquilo que sabemos". Tardiamente. Na velhice.Como estou velho, ganhei coragem.
Vou dizer aquilo sobre o que me calei: "O povo unido jamais será vencido", é disso que eu tenho medo. Em tempos passados, invocava-se o nome de Deus como fundamento da ordem política. Mas Deus foi exilado e o "povo" tomou o seu lugar: a democracia é o governo do povo. Não sei se foi bom negócio; o fato é que a vontade do povo, além de não ser confiável, é de uma imensa mediocridade. Basta ver os programas de TV que o povo prefere. A Teologia da Libertação sacralizou o povo como instrumento de libertação histórica. Nada mais distante dos textos bíblicos.
Na Bíblia, o povo e Deus andam sempre em direções opostas. Bastou que Moisés, líder, se distraísse na montanha para que o povo, na planície, se entregasse à adoração de um bezerro de ouro.Voltando das alturas, Moisés ficou tão furioso que quebrou as tábuas com os Dez Mandamentos. E a história do profeta Oséias, homem apaixonado! Seu coração se derretia ao contemplar o rosto da mulher que amava! Mas ela tinha outras idéias. Amava a prostituição. Pulava de amante e amante enquanto o amor de Oséias pulava de perdão a perdão. Até que ela o abandonou. Passado muito tempo, Oséias perambulava solitário pelo mercado de escravos. E o que foi que viu? Viu a sua amada sendo vendida como escrava. Oséias não teve dúvidas. Comprou-a e disse: "Agora você será minha para sempre." Pois o profeta transformou a sua desdita amorosa numa parábola do amor de Deus. Deus era o amante apaixonado. O povo era a prostituta. Ele amava a prostituta, mas sabia que ela não era confiável.
O povo preferia os falsos profetas aos verdadeiros, porque os falsos profetas lhe contavam mentiras. As mentiras são doces; a verdade é amarga. Os políticos romanos sabiam que o povo se enrola com pão e circo. No tempo dos romanos, o circo eram os cristãos sendo devorados pelos leões. E como o povo gostava de ver o sangue e ouvir os gritos!
As coisas mudaram. Os cristãos, de comida para os leões, se transformaram em donos do circo. O circo cristão era diferente: judeus, bruxas e hereges sendo queimados em praças públicas. As praças ficavam apinhadas com o povo em festa, se alegrando com o cheiro de churrasco e os gritos.
Reinhold Niebuhr, teólogo moral protestante, no seu livro "O Homem Moral e a Sociedade Imoral" observa que os indivíduos, isolados, têm consciência. São seres morais. Sentem-se "responsáveis" por aquilo que fazem. Mas quando passam a pertencer a um grupo, a razão é silenciada pelas emoções coletivas. Indivíduos que, isoladamente, são incapazes de fazer mal a uma borboleta, se incorporados a um grupo tornam-se capazes dos atos mais cruéis. Participam de linchamentos, são capazes de pôr fogo num índio adormecido e de jogar uma bomba no meio da torcida do time rival.
Indivíduos são seres morais. Mas o povo não é moral. O povo é uma prostituta que se vende a preço baixo. Seria maravilhoso se o povo agisse de forma racional, segundo a verdade e segundo os interesses da coletividade. É sobre esse pressuposto que se constrói a democracia. Mas uma das características do povo é a facilidade com que ele é enganado. O povo é movido pelo poder das imagens e não pelo poder da razão.
Quem decide as eleições e a democracia são os produtores de imagens. Os votos, nas eleições, dizem quem é o artista que produz as imagens mais sedutoras.
O povo não pensa. Somente os indivíduos pensam. Mas o povo detesta os indivíduos que se recusama ser assimilados à coletividade.
Nem Freud, nem Nietzsche e nem Jesus Cristo confiavam no povo.
Jesus foi crucificado pelo voto popular, que elegeu Barrabás. Durante a revolução cultural, na China de Mao-Tse-Tung, o povo queimava violinos em nome da verdade proletária. Não sei que outras coisas o povo é capaz de queimar.
O nazismo era um movimento popular. O povo alemão amava o Führer. O povo, unido, jamais será vencido!
Tenho vários gostos que não são populares. Alguns já me acusaram de gostos aristocráticos. Mas, que posso fazer? Gosto de Bach, de Brahms, de Fernando Pessoa, de Nietzsche, de Saramago, de silêncio; não gosto de churrasco, não gosto de rock, não gosto de música sertaneja, não gosto de futebol.
Tenho medo de que, num eventual triunfo do gosto do povo, eu venha a ser obrigado a queimar os meus gostos e a engolir sapos e a brincar de "boca-de-forno", à semelhança do que aconteceu na China. De vez em quando, raramente, o povo fica bonito. Mas, para que esse acontecimento raro aconteça, é preciso que um poeta entoe uma canção e o povo escute: - "Caminhando e cantando e seguindo a canção..." Isso é tarefa para os artistas e educadores. O povo que amo não é uma realidade, é uma esperança... Rubem Alves

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

A esperança é a última que morre...

Talvez esse seja o penúltimo post sobre Eleição (será???). Recebi esse email e cortei algumas frases e tabelas; muito longo, achei.
Pode ser que seja um "falso e mail", que eu esteja viajando na maionese, mas com as novas falcatruas dessa semana, resolvi postar. Continuo incorfomada com a campanha eleitoral, com as pesquisas, e com a falta de caráter do nosso governante mór e toda sua corja. Às vezes, vejo uma luzinha no fim do túnel...
Olha que legal. Se você analisa as porcentagens nos estados, elas realmente mostram que a Dilma vence, mas no Brasil, o que conta é o número de votos, então, se você computa por esse lado, Serra tem mais votos, ou, pelo menos, a disputa ainda está acirradíssima!!! Olha só o que pode fazer a manipulação de apresentação de dados!!

Mais uma prova de que as pesquisas são MENTIROSAS e os dados estão sendo manipulados para criar a impressão que o SERRA está regredindo.

O grande perigo dessa manipulação é que além de fazer a cabeça dos desavisados e daqueles que não querem saber de política e votam em qualquer um, desde que esteja na frente nas pesquisas, pois ninguém gosta de perder, nos dá uma demonstração inequívoca que as URNAS ELEITORAIS são frágeis e poderão sofrer ataque de qualquer HACKER a serviço do PT e quadrilha.

Pense nisto e conscientize a população de baixa renda.

O preço da liberdade é a eterna vigilância.



Análise da pesquisa Datafolha É MUITO INTERESSANTE A ANÁLISE FEITA PELO SITE "COTURNO NOTURNO" SOBRE A ÚLTIMA PESQUISA PARA PRESIDENTE FEITA PELO DATAFOLHA . VALE A PENA LER E TAMBÉM FAZER A SUA ANÁLISE. PELO SITE ESTÁ DANDO O SERRA PRESIDENTE.
Os 11 estados abaixo representam 76% do total dos eleitores do Brasil:
• Todo o Sul e todo o Sudeste estão computados; • 49% do Nordeste está computado; • 30% do Centro-Norte está computado;
• Estes 11 estados representam praticamente 100 milhões de votos;
• Ficam faltando cerca de 32 milhões de votos para serem computados; O colégio eleitoral do Brasil é da ordem de 132.000.000 de votos. Acima, estão computados 100.000.000 de votos. Os dois candidatos disputarão 72% dos 32.000.000 de votos que ainda faltam, pois os demais 28% serão brancos, nulos e votos destinados a outros candidatos. Marina Silva, por exemplo, leva 10% deste total. Os nanicos uns 2%. E 16% são de brancos e nulos. Assim, resta contabilizar 23.000.000 de votos a serem divididos entre Dilma e Serra. Os estados que não entraram na conta acima apontam para um equilíbrio. Serra vai bem no Acre, Rondônia, Roraima, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará. Dilma abre vantagem no Amazonas, Maranhão, Piauí, Ceará e outros pequenos estados. No máximo, Dilma vai fazer 55% e Serra 45% dos votos restantes. Vamos aos números: • Dilma = 55% de 23.000.000 de votos = 12.650.000 + 33.258.000 = 46.178.000 de votos • Serra = 45% de 23.000.000 de votos = 10.350.000 + 39.001.000 = 49.351.000 de votos Diferença a favor de José Serra = 3.173.000 votos (cerca de 3% a mais nas pesquisas)
Querem mais um ponto a favor de Serra? A abstenção é muito maior nas regiões onde Dilma lidera e este fator deve aumentar em cerca de 2 milhões de votos a vantagem do tucano. Querem provas? Em 2006, o Nordeste teve 73% de votos válidos, enquanto o Sul teve 79%. O Sudeste teve 75% de votos válidos e o Centro-Norte 76%.
"Punto e basta!"

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

O x da minha questão!

"O maior castigo para aqueles que não se interessam por política, é que serão governados pelos que se interessam."
Arnold Toynbee
A indignação gritou alto, e olha eu aqui batendo naquela benedeta tecla, pela penúltima vez, prometo!
Dilma ganharia a eleição no primeiro turno se a eleição fosse hoje. O governo Lula está com 79% de aprovação.
O meu x: Quem são os que aprovam? Penso, conjecturo, reflito, tenho minhas certezas e minhas dúvidas.
Eu faço parte dos 20% que reprovam essa sacanagem, essa roubalheira sem fim, essa falta de respeito, de caráter, essa corja de fantasmas (são afastados, denegridos moralmente, e de repente, ressuscitam em melhores situações) que assombra o cidadão que paga os impostos exorbitantes, que tem vergonha na cara, e que se assusta, se comove e se preocupa com o país que seus filhos e netos herdarão.
Ontem, consegui resolver a incógnita tenebrosa:
“Repetidamente, o presidente Lula e Dilma se apresentam como pai e mãe dos brasileiros. Em 17/08, Lula declarou: “A palavra não é governar, a palavra é cuidar: quero ganhar as eleições para cuidar do meu povo, como a mãe cuida de seu filho.”
...o que me choca é que eleitores possam ser seduzidos pela idéia de serem cuidados como crianças e preferí-la à de serem governados como adultos.
...se o governo for paternal ou maternal, o que o cidadão espera nunca será exigível, mas outorgado como um presente concedido por generosidade amorosa.
...a vida adulta é sempre menos adulta do que parece: ela é pilotada por restos e rastos da infância.
...tornar-se adulto é um processo árduo e sempre inacabado. Por isso mesmo, a quem luta para se manter adulto, qualquer paternalismo dá calafrios.
...se o Estado é um pai ou uma mãe para mim, eu não tenho deveres, só dívidas amorosas, e se esse Estado me desrespeita, é que ele me rejeita, que ele trai o meu amor. Por esse caminho, amado ou traído pelo Estado, nunca me considerarei como um entre outros, o que é uma condição da vida em sociedade, mas sempre como a menina dos olhos do poder.
...agora, se eu me sentir traído, não me contentarei em mudar meu voto, mas procurarei vingança no corpo a corpo, quem sabe, arma na mão; pois essa é a linguagem da paixão e de suas decepções. “O paternalismo, em suma, semeia violência.”
O que está em negrito, foi publicado ontem(Ilustrada, 26/08/10) na Folha, escrito pelo Contardo Calligaris. O texto na íntegra está imperdível, e para os apaixonados pela psicanálise, a conclusão: “Enfim, se é verdade que muitos preferiram ser objeto de cuidados maternos ou paternos a serem “friamente’ governados, pois bem, nesse caso, a psicanálise ainda tem várias boas décadas de utilidade pública entre nós. É uma boa notícia para a psicanálise. Não é uma boa notícia para o mundo fora dos consultórios.”
Resolvi a equação. Obrigadíssima Calligaris. Ponto final.

sábado, 21 de agosto de 2010

Maternidade, ou melhor, maternagem.

Tenho pensado sobre as novas mamães do sec. XXI, que estão nas páginas de jornal, revista e na mídia, colocando em discussão assuntos importantes e prementes.
Um deles é o trabalho, que foi galgado a duras penas, dispensou anos de estudos, e concedeu a tão sonhada independência financeira.
Quando a profissional dedicada e com uma carreira em pleno desenvolvimento tem seu bebê, e depois de um tempo tem que retornar ao trabalho, vem a grande dúvida: será melhor dar um tempo para cuidar dos pimpolhos, ou deixá-los com algum familiar, com babá, em creches ou escolinhas?
As opiniões divergem, os palpites alucinam, uma certa angústia aparece e o tempo começa a correr. "Os primeiros meses passaram lentamente, mas agora estão voando...", é a fala de muitas mães.
Hoje, a decião de ter filhos é complexa, pois os valores culturais mudaram; a correria comanda a jornada diária, não ter tempo é ser "o máximo", ficar em casa não está com nada...aquela delícia de curtir o bebê, amamentar a hora que ele quiser, olhar demoradamente para suas mãozinhas, para muitas é um martírio. Acompanhar o tempo deles é de desesperar. A vida dá uma brecada, e talvez uma parada brusca. Os compromissos sociais entram em greve total.
Não é mais possível manter a mesma vida que tinham antes do bebê nascer.
Filhos exigem renúncias, mesmo temporárias. E muitas mães não assumem a maturidade que a maternagem exige.
Agradeço a Deus todos os dias pela "mamãe do Pedro", minha filha Pati, que cedeu seu tempo para ser mãe, "mamãe em potencial".
( Algumas reflexões foram tiradas do texto de Rosely Sayão, dia 02/08/10, Equilíbrio, Folha)

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Eleições 2010!

Havia prometido que não me envolveria mais, sofri pra caramba nas 2 últimas eleições, mas meu "instinto cidadão" não permitiu. Voltei nesse assunto que deveria ser primordial, e está tornado-se aflitivo, poucos querem se manifestar.
Hoje começa o horário político, e eu vou assistir sim, só não sei por quanto tempo.
A Dilma está me deixando sem chão, e o meu inconformismo chegou ao máximo, quando ouvi que ela pode ganhar no primeiro turno! E eu não conheço uma só pessoa que confesse que vai votar na dita cuja! Como isso é possível? Estou possuída de espírito político, gostaria muito de poder "ver uma luz no fim do túnel", estou indignada dos pés à cabeça! Não aceito o que estou vendo, lendo e ouvindo!!!
A Jovem Pan está realizando uma enquete para Presidente da República. Participei, passei por e mail para meus contatos, e agora estou anexando aqui. Não sei se vou continuar com essa empreitada histérica, mas hoje estou muito p da vida.

jovempan.uol.com.br/enquete-eleicao-2010 (sem cedilha)
ou
www.jovempan.com.br

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Uma vovó e uma MULHER!

Estou me
re-organizando,
re-estruturando,
re-erguendo,
re-paginando,
re-fazendo,
re-lendo,
enfim, re-significando!
Depois de um mês no papel quase exclusivo de vovó, e muito pouco no papel de MULHER, estou caminhando para novos desafios, re-surgindo aos pouquinhos. Estava muito difícil, mas já melhorou, e logo estarei re-interada em tudo, com todos.

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Insubstituível

Recebi essa mensagem (desconheço o autor) e achei o máximo.
Todo dia aprendo uma coisa nova, graças a Deus, e hoje esse email me fez rever meu pensamento de que "depois de minha morte, o mundo continuará o mesmo..." Será?!
Na sala de reunião de uma multinacional o diretor nervoso fala com sua equipe de gestores. Agita as mãos, mostra gráficos e, olhando nos olhos de cada um ameaça: "ninguém é insubstituível" .
A frase parece ecoar nas paredes da sala de reunião em meio ao silêncio. Os gestores se entreolham, alguns abaixam a cabeça. Ninguém ousa falar nada.
De repente um braço se levanta e o diretor se prepara para triturar o atrevido:
- Alguma pergunta?
- Tenho sim.
- E Beethoven ?
- Como? - o encara o diretor confuso.
- O senhor disse que ninguém é insubstituível e quem substituiu Beethoven?
Silêncio..... O funcionário fala então: - Ouvi essa estória esses dias contada por um profissional que conheço e achei muito pertinente falar sobre isso. Afinal as empresas falam em descobrir talentos, reter talentos, mas, no fundo continuam achando que os profissionais são peças dentro da organização e que, quando sai um, é só encontrar outro para por no lugar. Quem substituiu Beethoven? Tom Jobim? Ayrton Senna? Ghandi? Frank Sinatra? Garrincha? Santos Dumont? Monteiro Lobato? Elvis Presley? Os Beatles? Jorge Amado? Pelé? Paul Newman? Tiger Woods? Albert Einstein? Picasso? Zico? etc...
Todos esses talentos marcaram a história fazendo o que gostam e o que sabem fazer bem, ou seja, fizeram seu talento brilhar.
E, portanto, são sim insubstituíveis. Cada ser humano tem sua contribuição a dar e seu talento direcionado para alguma coisa.
Está na hora dos líderes das organizações reverem seus conceitos e começarem a pensar em como desenvolver o talento da sua equipe focando no brilho de seus pontos fortes e não utilizando energia em reparar seus 'erros/ deficiências' .
Ninguém lembra e nem quer saber se Beethoven era surdo, se Picasso era instável , Caymmi preguiçoso, Kennedy egocêntrico, Elvis paranóico ... O que queremos é sentir o prazer produzido pelas sinfonias, obras de arte, discursos memoráveis e melodias inesquecíveis, resultado de seus talentos.
Cabe aos líderes de sua organização mudar o olhar sobre a equipe e voltar seus esforços em descobrir os pontos fortes de cada membro. Fazer brilhar o talento de cada um em prol do sucesso de seu projeto. Se seu gerente, ainda está focado em 'melhorar as fraquezas' de sua equipe corre o risco de ser aquele tipo de líder/técnico, que barraria Garrincha por ter as pernas tortas, Albert Einstein por ter notas baixas na escola, Beethoven por ser surdo. E na gestão dele o mundo teria perdido todos esses talentos.
Seguindo este raciocínio, caso pudessem mudar o curso natural, os rios seriam retos não haveria montanha, nem lagoas nem cavernas, nem homens nem mulheres, nem sexo, nem chefes nem subordinados . . . apenas peças.
Nunca me esqueço de quando o Zacarias dos Trapalhões 'foi pra outras moradas'. Ao iniciar o programa seguinte, o Dedé entrou em cena e falou mais ou menos assim: "Estamos todos muito tristes com a 'partida' de nosso irmão Zacarias... e hoje, para substituí-lo, chamamos:... . Ninguém ... pois nosso Zaca é insubstituível"
Portanto nunca esqueça: Você é um talento único... com toda certeza ninguém te substituirá! "Sou um só, mas ainda assim sou um. Não posso fazer tudo..., mas posso fazer alguma coisa. Por não poder fazer tudo, não me recusarei a fazer o pouco que posso."
"No mundo sempre existirão pessoas que vão te amar pelo que você é..., e outras..., que vão te odiar pelo mesmo motivo..., acostume-se a isso..., com muita paz de espírito. ..".

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Vovó "muitoooo antenada"...

Paulinho tinha 9 anos e foi passar uns dias na casa da vovó.
Ele estava brincando na rua com alguns coleguinhas e uma hora entrou em casa perguntando:
- Vovó, como se chama aquilo quando duas pessoas dormem no mesmo quarto e ficam uma em cima da outra?
Vovó se assustou com a pergunta, pensou e achou que seria melhor dizer a verdade:
- Bem, Paulinho, isso se chama uma relação sexual...
Paulinho satisfeito com a resposta voltou para a rua para brincar.
Dentro de instantes ele entra em casa novamente todo esbaforido e diz:
- Vovó, aquilo que eu perguntei, se chama BELICHE!
E a mãe do Zezinho quer falar com a senhora....

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Netinho visitando a vovó...

Estou tão, mas tão feliz com a visita do netinho, da filha, do genro , de todos amigos e toda família, e toda a "confa" mais eletizante que isto tudo provoca, que estou completamente "sem palavras" para descrever minha alegria e minha fé na vida!
Muito obrigada meu bom Deus!

sexta-feira, 2 de julho de 2010

BRASIL!!!

Pois é, a festa acabou e ficamos todos jururu.
Recordo com muita nostalgia de várias Copas com a alegria das reuniões dos amigos, quando meus "pequenos" eram fanáticos, choravam(os) quando a Seleção não tinha resultado favorável, e choravam(os) também quando a vitória era nossa!
Fechávamos literalmente nossa rua, a vizinhança toda se agrupava, a televisão nem tão grande ficava na garagem do "Professor" (o vizinho mais comedido de todos) e nos alpendres (como assim, ALPENDREs?!) das outras casas a "molecada" se esbaldava. Os amigos de longe vinham chegando, cada etapa vencida o número aumentava, uma família avisava outra, e a festa estava pronta. Nada de confusão, de muita combinação, tudo simples e singelo. E assim vivemos Copas memoráveis e deliciosas. Felizes.
Hoje me emocionei pouco, que pena! (Meus filhos também não choraram). Parece que meu espírito patriótico infelizmente não é mais o mesmo. Sou muito indignada com meu país, com tanta falsidade, mentira, pouca vergonha, falta de respeito, de ética, etctera e tal.
Penso sinceramente que um evento como a Copa reflete o estado de uma nação. Não estamos jogando bem em nehuma posição, não é só o Dunga e sua turma que não estão bem. Infelizmente.

domingo, 13 de junho de 2010

"Se todo mundo sambasse..."

Tem mais samba no encontro que na espera
Tem mais samba a maldade que a ferida
Tem mais samba no porto que na vela
Tem mais samba o perdão que a despedida
Tem mais samba nas mãos do que nos olhos
Tem mais samba no chão do que na lua
Tem mais samba no homem que trabalha
Tem mais samba no som que vem da rua
Tem mais samba no peito de quem chora
Tem mais samba no pranto de quem vê
Que o bom samba não tem lugar nem hora
O coração de fora
Samba sem querer

Vem que passa
Teu sofrer
Se todo mundo sambasse
Seria tão fácil viver

Chico criou essa maravilha em 1964, e considera o marco zero de sua carreira profissional. Tinha 22 anos, e havia recebido uma "encomenda" para o show "Balanço do Orfeu"( Teatro Maria Della Costa, SP, 07/12/64).
"Não sei porque", mas acordei cantando esse refrão, e fui em busca da letra que havia esquecido. Penso que o "recuerdo" gostoso, se deve ao fato de ter tido o prazer do encontro de uma amiga mais que querida, a Carmen, que me faz realmente muita falta...Entre tantas coisas, lembramos do Show que assistimos juntas em 1977 no Canecão (com nossos maridos e eu grávida da Pati), onde se apresentavam Vinícius, Tom, Toquinho e Miúcha, e de lambuja estava o Chico na platéia... não, não preciso falar mais nada, nem procurar resposta, só sei que ..."se todo mundo sambasse, seria tão fácil viver!!!"

terça-feira, 1 de junho de 2010

Sorrisos X Lágrimas

O dia de hoje me proporcionou sorrisos e lágrimas.
Tinha já o sorriso antecipado, pela possibilidade da vinda dos "holandeses" em Julho, mas não a certeza, quando recebo um telefonema sobre a morte de um tio, que apesar da idade avançada, 92 anos, e da saúde fragilizada, assemelhava-se a uma rocha.
O tio era músico, tocou a vida toda na Banda Municipal. Foi o primeiro vereador eleito da pequena cidade, e teve o direito de ser velado na Câmara. Não sei se sentiu orgulho disso, mas sentia um orgulho visível de pertencer à Banda. Isso lhe bastava. Trabalhou muito, sempre, e foi muito feliz como músico.
Quando chego da viagem, recebo a deliciosa notícia de que o dia 07 de Julho foi o escolhido para a chegada no Brasil do "povo lá de fora".
Assim é a Vida, graças a Deus, com seus momentos de glória, de pesar, de dançar e de sonhar.
"Sempre há, por quem sorrir e por quem chorar..." já disse um poeta. Prefiro sorrir, of course, mas não tenho medo da Vida.

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Carpe Diem

Passei a última semana não muito bem, sentindo uma saudade imensa dos meus "holandeses", "pré-ocupada" com muitas picuinhas (que depois me dá uma raiva de ter ficado assim...), e graças a Deus amanheci hoje, plena segundona, sentindo-me ótima! Passou a "nhaca"!!!
O domingo foi assim, apesar da "ordem estar fora de ordem", e que provavelmente alguma coisa ficou sem entrar na ordem:
1-Li meus jornais atrasados (isso é uma coisa que não consigo mudar: sei os dias que meus "preferidos escrevem", se não deu tempo no dia de lê-los, guardo, e aí acumula e eu não leio meus livros, e isso me deixa um pouco irritada...quero mudar, e vou conseguir!) e a edição nova da Folha, adorei o moderno lay-out e por isso tento um novo aqui também...
2-toquei piano, que há muito não tocava e que me faz um bem enorme,
3-assisti um filme indicado por uma amiga, interessantíssimo: "Coisas que voce pode dizer sem olhar para ela" (que nome é esse?!, pensei que estava errado também, mas está certinho e recomendo, com Glenn Glose,Cameron Diaz, Holly Hunter, e outras ótimas atrizes ),
4-fiz um pouco de tricô,
5-namorei meu marido,
6-descongelei feijoada e almoçamos com minha mamma,
7-molhei minhas plantas,
8-falei com meus holandeses e vi meu neto rindo deliciosamente,
9-recebi um e mail encantador da minha nora,
10- falei com meus filhos,
11- com minha sogra e com uma amiga querida ao telefone,
12- fui ao computador por um tempinho,
13-assisti ao quadro da "dança-do-faustão", um tico do Fantástico, e depois o Café Filosófico, que por sinal estava ótimo mas adormeci logo e acordei com o despertador às 6:15, descansada e prontinha para "carpe diem: aproveitar o momento"!
Parafraseando o Calligaris: reconheço que quero viver plenamente, e para isso só preciso me lembrar que cada momento presente, alegre ou triste, é sempre uma grande ocasião!

domingo, 16 de maio de 2010

Surto filosófico - Ferreira Gullar

Sou fãzona do poeta F. Gullar, e a coluna dele deste domingo (16/05) na Folha mexeu nos meus “gorgomilos”.
Ele escreveu sobre a memória, esta incógnita maravilhosa, que às vezes nos deixa a pé, e outras nos mantém conectados
com o tudo e com todos.
Ele inicia dizendo: “Eu, hoje, estou invocado e quando fico assim dano-me a pensar qualquer coisa.”
Acordei, hoje, também meio invocada, e também sou invocadíssima com a “tal-da-memória”, então... "uniram-se a fome e a vontade de comer".
Citarei algumas frases, quero pensá-las mais vezes, e dividir essa riqueza:
“Temos em nós um depósito de memórias afetivas, sepultadas em nosso esquecimento, porque não queremos reviver a dor que nos provocaram...”
Ter memória é ser capaz de evocar o que já ocorreu e se foi. Mas acabo de perceber que não é só isso: a memória é construtiva do presente, é parte dele.”
“O poeta é aquele cara que se surpreende com o óbvio e, ao fazê-lo, torna-o surpreendente, pelo menos para si mesmo. Assim é que estou aqui maravilhado com a minha descoberta de que a memória é parte do presente que vivo e não apenas do passado que vivi.”
“Se é impossível pensar sem nada saber, é que só é possível pensar graças à memória. Mas pensar é quase sempre inventar o que se pensa.”
“A memória me permite inventar o futuro de que me lembrarei, como passado, futuramente.”
(Foi por conta dessa frase que os “gorgomilos” se mexeram!)
E agora, depois de pensar e pensar, quase desinvoquei total...

terça-feira, 11 de maio de 2010

Só para descontrair..."maitena"

Duas amigas conversando (que podem ser a Pati e a Renata, ou a Pati e a Julia, ou a Renata com a Ju, ou Carol e Pati, a Pati com a Silvia, ou nem sei, tantas outras...):

-Antes eu era mais neurótica, viu?
Tinha problemas com a comida,
problemas para dormir,
precisava de um tempão para tomar banho,
de um ambiente todo especial para ler...
Agora como qualquer coisa,
durmo muito bem em pé,
tomo banho em dois minutos,
e sou capaz de ler com a luz apagada!!!!

-Noooossa, voce fez terapia?

-Não, tenho um bebê de dois meses...

domingo, 25 de abril de 2010

Diário do Pedro - Parte X

Hoje é aniversário da minha filha, da mãe do Pedro!!!! Muitas, mas muitas felicidades mesmo, querida Pati! Seu maior presente chegou dia 12/03, e eu já aqui tão longe, peço e agradeço a Deus por sua vida, que seja cada dia mais feliz!
Quando Pedro completou 40 dias a vovó Sonica retornou para o Brasil.
O vulcão deu uma trégua, e já estou na minha doce casa, graças ao bom Deus! E assim vou terminando esse breve relato dessa nova e maravilhosa jornada que pude viver e conviver com minha filha, genro e neto; experiência única, onde revivi minha maternidade e acompanhei os primeiros passos de minha filha nessa viagem culminante da delícia de ser mulher!
Muitas passagens ficarão na memória e não serão apagadas por nada; a vida continuará bela, ou melhor, mais bela ainda, graças ao nascimento de uma criança, uma benção sem comparação.
Volto ao meu dia-a-dia renovada, agradecida e pronta para aprender novas lições e partilhar aquilo que compreendi.
A partir dessa segunda-feira, minha "velha" rotina ganha ares novos, pois o Amor conseguiu promover uma reviravolta em todo meu ser. Estou pronta para continuar a viver... conviver...amar...perdoar...entender...aceitar...discutir...indignar...

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Diário - Parte IX

Hoje vou mudar o rumo do meu diário, p/ falar um pouco das mulheres desta cidade, das impressões desta "temporada deliciosa" que estou passando aqui.
Inicio dizendo: “Chico, me perdoe, mas acho que “devemos nos mirar no exemplo das mulheres de Groningen”, que pelo-amor-de-Deus, como são bonitas, E MAGRAS!
Começando pelas “mulheres-bebezinhas”, dá vontade de roubá-las. Todas usam umas roupinhas diferentes, claro com o frio que faz aqui, é completamente outra coisa do que estou acostumada, e são lindinhas demais!
As maiorzinhas, não têm uma só feia. Hoje me deparei com três meninas de 7 anos, as três banguelinhas, e não menos lindas!
Agora, as adolescentes até as de 40, dá vontade de dar uma surra! São de chamar atenção mesmo! Forma aquele corredor de bikes na cidade, e todas loiras, altas, magras, pernas torneadas, bem-vestidas, e de roupas lindíssimas!
E aí, vem o melhor da história de hoje (16/04)! Euzinha deixo a Pati e o Pedro em casa, e vou dar uma volta pela cidade; fora do peso, roupas nada a ver, resolvo entrar na Zara, p/ experimentar umas roupitchas!
Primeiro, dou uma olhada pela loja recém inaugurada, uma casa antiga, belíssima e toda reformada, e fico babando nas roupas; olho ao meu lado, 2 moças chiquetérrimas, escolhendo quase as mesmas coisas que eu; a loja estava bombando de gente e de roupas bonitas. Vou escolhendo, separando, e vou procurar o trocador(paskmynte!) Uma fila, devo esperar minha vez. Continuo observando aquelas moças e vou me achando feinha perto delas, mas não vou ligando muito não. De repente, quando chega minha vez de entrar no paskmynte, que mais parecia um closet, com um espelho enorme, e quando me vi, me achei mais feinha ainda. Bem, comecei a experimentar as roupas, e NADA estava me servindo! Foi me dando um nervoso, que quase gritei! O pior foi uma calça jeans skynni, que parou no meio da perna, nem subia e nem descia, e pensei: mamma mia que faço agora? Bem, ela saiu depois de um grande esforço! Gostei de uma outra calça que deu certo, grazie a Dio, e duas blusas! Bom, melhorou um pouco meu humor! Quando fui pagar, outro stress! As blusas não estavam com o preço certo, estavam bem mais caras, e eu com meu inglês more or less, fiz a moça do caixa (linda também) desfazer a compra p/ eu levar só a calça. Não preciso dizer que ela não gostou, e que eu nem liguei. Formou-se uma fila de moça bonita atrás de mim, e eu continuei não ligando (e me achando!) até que a transação finalizou.
Agora vem o melhor da história: quando a mulherada passa dos 40, a coisa muda de figura: todas continuam com o corpão lindo, mas o rosto, ninguém merece! Viram uns trubufus, pois fumam demais (é difícil ver alguém sem um cigarro!), não devem usar filtro solar, usam maquiagem exagerada, e viram umas baratas-descascadas! Tudo bem que as pernas continuam duríssimas, (o abdômen... Ahã?, me recuso a falar), elas continuam chiques, pois o clima favorece, mas aí a gente não sabe mais se tem 40, 50, 60, 70 ou mais ainda ! E a vingança vira maligna! Porque pensando bem, é melhor ser mais cheinha, com um corpo que às vezes não cabe nas roupas que vc “pensa” que quer, e aparentar a sua idade verdadeira ou até uns aninhos a menos... Ri muito de mim mesma, e voltei pra casa toda feliz com o corpitchio-que-Deus-me-deu... uma calça nova na sacola, e com a certeza de que a canção deve continuar é assim mesmo: “Mirem-se no exemplo, daquelas mulheres de Atenas...”
19/04- Estou impedida de ir embora, e o Pedro AMOU essa história de vulcão em erupçao!

sábado, 17 de abril de 2010

ParteVIII - Pedro

O Pedro fez sua primeira visita ao pediatra, pois completou seu primeiro mês de vida! Quando estava com 12 dias, a enfermeira pediatra veio examiná-lo aqui em casa, e fez também o teste do pezinho (não é o máximo vir fazer o teste e examinar o bebê em casa?).
Ficamos felizes demais, pois ele pesou 4.600 grs ! Engordou mais de 1 quilo! Parabéns ao bebê que está mamando p/ caramba, e a mamãe que fornece o leite com tanto carinho e amor!
Agora, quanto ao comprimento, é muito interessante a maneira como é feito esse acompanhamento: todos os bebês ficam a maior parte do tempo com as perninhas encolhidas, e só alongam quando choram; a conduta daqui é deixá-los nessa posição e não forçá-los de maneira alguma, ainda mais só para fazer uma medição correta; quando ele nasceu não mediram, fizeram uma estimativa que ele mediu por volta de 50 cm e hoje a médica colocou-o para medir, mas como ele não “se esticou” sozinho, ela também não forçou, e do jeito que ele estava mediu 53; no segundo mês de vida, ela já pode fazer isso com segurança, pois o risco de uma lesão na articulação não existe mais; segundo ela, pode dar uma diferença significativa nestes cm por conta dessa “preocupação” em não esticá-lo (again, não é o máximo?).
Foi feita também a medição da circunferência craniana, e com essa medida, mais a média da altura do Junior e da Patrícia, e mais a medida dele, sua altura foi calculada em 1,84cm. "Que gato!"
Auscultou, examinou, e o Pedro está super bem, graças a Deus! Agendou a próxima consulta para o próximo mês, iniciando a vacinação; esse calendário é um pouco diferente do Brasil.
Satisfação total dos papais de primeira viagem (e da vovó Sonica, claro!) com relaçao ao Sistema de Saúde da Holanda!

terça-feira, 13 de abril de 2010

Diário de bordo - Pedro - Parte VII

A cólica do Pedro está melhorando dia a dia. Não está tomando nada de remédio, e muito de vez em quando, uma Funchicória na chupeta. E só.
Sua rotina está assim: durante a noite, dá um intervalo de 4 horas, já deu de 5 por 2 dias, e durante o dia o relóginho de 3 em 3 mais ou menos. O banho é dado antes do nosso almoço, e depois ele tira sua melhor soneca. Pode ser melhor?
A Pati me surpreende todo dia. Realmente uma mãezona de primeiríssima qualidade! Tem paciência, jeito e muito, muito amor para dar a esse filho! Ela curte a maternagem de maneira espontânea, inteira, carinhosamente! O Junior nos finais de semana assume seu lado paizão, e gosta de dar o banho, trocar quando necessário, e todo feliz da vida curte ao máximo seu bebê.
Sinto que vou deixar saudades (e sentir mais ainda!), peró vou voltar com tranqüilidade, pois a família está muito bem, e vai ficar cada dia melhor. Fico mais uma semana, e com certeza, será o tempo exato. Eles seguirão a nova vida com muita segurança, alguns pequenos tropeços, muitas risadas, e muito amor!

Hoje (11/04) fomos visitar Keukenhof o parque das flores da Holanda, o mais famoso da Europa: tulipas, orquídeas, hortênsias, antúrios, e mais uma penca de variedades! Foi uma pequena viagem, que valeu completamente a pena. O dia estava nublado, 9 graus com sensação de 3 brbrbrbr; demos banho no Pedro, ele mamou e saímos; ele dormiu até lá (2 horas de viagem), mamou novamente um pouco, e entramos no parque. Que parque! Turistas do mundo todo, estacionamento tipo Disney, e uma beleza indescritível. Não vou perder da minha memória o colorido e o cheiro daquelas flores! Que maravilha! A volta foi pitoresca, admirando a linda paisagem da Holanda, seus moinhos de vento, a planície exuberante, a pequena aflição quando ficamos (sem perceber) abaixo do nível do mar. E para finalizar esse dia tão gostoso, jantei o melhor Mac da minha vida, juro, Deutch Deluxe! Não sou fã de lanches Mac, mas desse eu fiquei! Se alguém vier p/ essas bandas, não deixem de experimentar! Mais um dia inesquecível na companhia desta família que acabou de se formar, e que eu amo tanto!

Minha nora perguntou qual minha opinião sobre música para bebês. Acho esse assunto tão interessante, e acredito que eles ouvem e curtem. Há estudos sérios sobre esse tema, e a maioria tem resultado favorável. O Pedro, p.ex., ouve todos os dias, desde a concepção, Pati é também movida à música. Desde que ele nasceu ela coloca os CDs dele (sim, ele já começou sua coleção com os que ganhou!): Lullabies orquestradas, Lullaby Renditions of U2, Canções de Ninar (Coleção Palavra Cantada) e Pequeno Cidadão, intercala com músicas brasileiras e internacionais, e nós temos certeza que ele gosta, pois ele é um nenê calmo e tranqüilo.
Eu sempre ouvi muita música durante a gravidez, e meus três filhos gostam muito; quando engravidei do Eduardo, estava ligadíssima à música; estudava piano e violão, e hoje ele toca muito bem violão e guitarra.

Terminei o "Millenium", e fiquei extasiada (Obrigada Regina Cavalini pela dica de chegar a pág. 70!). O livro é bárbaro, não conseguia mais parar, levei até pito da Pati; a trama é daquelas que fica por muito tempo nos acompanhando. Claro que vou ler os outros dois da trilogia de Stieg Larsson.
Iniciei “A História de Edgard Sawtelle”, e me envolvi. Muito bom; o autor é um novato, David Wroblewski, este é seu primeiro livro.

sexta-feira, 9 de abril de 2010

8 de Abril - Parabéns, filho querido!

Hj é seu dia, Du, e vou passar longe de você!
Mas olha, é por uma ótima causa, voce ganhou seu primeiro sobrinho!!! E olha só, fico chamando o Pedro de Eduardo muitas vezes ao dia!
Quando me lembro de vc bebê, fico com os olhos cheinhos d'água...Vc foi um bebê e um menino delicioso! Não deu nenhum trabalho, e o melhor, sempre teve o bom humor como companheiro! Espirituoso, inteligente, observador. Sempre olhando para o lado fácil da vida.
Quando estava com 4 anos, se escondeu em cima de uma árvore grande, na Florestinha, que deixou todos alarmados. Quando cheguei para buscá-lo, a diretora me disse: "Mãe, ele não saiu da escola, temos certeza, mas ainda não o encontramos, ele se escondeu bem demais!" Olhei rápido para cima, e lá estava voce, sentadinho num galho da árvore, e sorrindo me disse: "Mãe, me ajuda, não conségo descer!"
Sempre me vem a mente esse episódio, e me dá uma grande saudade...Com ele chegam muitos outros, como o dia da chuva forte, vc escapou, chegou ensopado, me olhou de lado..."mãe, a chuva tava boa prá caraia!"...
Mas, a vida é assim mesmo; e o maior barato é poder ver o desenvolvimento dos filhos. Agradeço a Deus todos os dias pela vida de voces, e peço a Ele bençãos, muitas bençãos.
Hj não foi diferente, e agradeci por muita coisa, mas principalmente pela sua bondade, que chega a ser palpável, meu querido.
Parabéns, meu filho! Muitas felicidades para sua vida toda!

terça-feira, 6 de abril de 2010

Parte VI Diário de bordo do Pedro

04/04- A cólica não deu as caras ontem, mas hj veio de mansinho, e encheu um pouco durante o dia. A noite passada foi bem tranqüila (tranquila... não tem mais trema rsrs!); o Pedro dormiu 4 h, depois mais 3.
Percebemos que a Funchicória acalma um pouco, mas o melhor tem sido o “aconchego grudado”. Sei que logo vamos esquecer que ela existiu, mas por enquanto é chatinha, chatinha; ficamos todos a mercê dela, a chatona que judia do bebê!
O frio melhorou um pouco, mas p/ mim, 2,5 até 10 graus é muitoooo frioooo! Dentro de casa, mantemos 21, 22, mas lá fora, brrbrbbr! Com isso, não temos coragem de sair com ele, foram umas voltinhas bem mixurucas, rapidinhas! Chove bastante, então não é só o frio, é chuva together. Então o melhor negócio é ficar em casa mesmo. Hoje demos mais uma saidinha, o Junior nos levou p/ eu comprar a “academia do bebê”, queria dar de presente de Páscoa ao Pedro. Ano próximo ele vai ganhar um ovão de Páscoa, e se lambuzar inteirinho...
Outro registro que não pode ficar de fora: meu genro é “o Genro”! Meu maridão (Ai que saudades...), meus dois filhos e meu pai sempre foram meus homens especiais, os preferidos, os “the best”! Mas meu genro está entrando nesta lista! Uma pessoa que já era muito querida, e agora ficou mais querida ainda. Vai ser um paizão, com certeza! Um ótimo marido ele já é, e agora que a família foi formada, ele deu seu passo de pai, que é tão gostoso e importante, e não deixa de vir acoplado com responsabilidade, ou melhor, muita responsabilidade. ”E ele tá tirando de letra”! Nota 10, Papai Junior!

Terminei de ler “Altar Ego”, de Kathy Lette, e achei bem legal, é um livro que de repente se solta uma gargalhada, e em outros se fica pensativo. Retrata a mulher inglesa do início do ano 2000 (e percebo a brasileira desses últimos anos) que se perde talvez em sonhos e realidade.
Reiniciei “Os homens que não amavam as mulheres”, “Millenium”, e continua difícil de pegar. Tinha o deixado de lado, mas como muitas amigas adoraram, e eu já havia comprado, vamos lá na última tentativa!
Estou adorando “Um sentido para a vida”, V. E. Frankl.

sábado, 3 de abril de 2010

Diário - Parte V

02/04 - A Pati já tinha contado no seu blog, mas repetindo, aqui não é permitido pegar o bebê no colo quando o carro está em movimento; se ele chorar, é necessário estacionar para pegá-lo. A multa é altíssima. Penso que em todo lugar deveria ser assim, pois a segurança que a cadeirinha oferece, não tem igual. Mas que deve ser difícil não pegá-lo se o bebê começar a berrar, isso deve, principalmente se estivermos ao lado dele no banco traseiro...
Fomos a um mega Supermercado com o Pedro, e saímos pela primeira vez de carro com ele. O Pedro se comportou muito bem, deu uma choradinha no supermercado, e depois quando estávamos chegando. Dormiu a maior parte do tempo, e quando chegou mamou gostoso. Minha filha sente um prazer tão grande em amamentá-lo, que dá gosto ver esse ato onde aparece visivelmente a mão de Deus.

Ele dormiu bem esta noite, e só colocamos uma vez a Funchicória na chupeta. Penso que nem valeu, e ainda não dá para emitir opinião; a cólica foi fraca; Uma dica da Sonica para cólica, que eu usava muito com meu filhos, é colocá-los “grudados” no nosso colo, de barriguinha em contato direto com a gente, e ficarmos numa posição semi deitada, passando calor e amor para os nossos rebentos. A Pati adotou e foi excelente. Ele dormiu tranquilamente por 3 horas.
E assim tem sido a rotina Pati-Pedro: ele mama de 02h30minh mais ou menos, às vezes um pouco menos, outras um pouco mais, mas sabemos que á assim mesmo; este primeiro mês é um aprendizado dos dois, mãe-bebê, e assim vai formando esse maravilhoso vínculo de amor, sentido e percebido na cumplicidade dos olhares entre eles.

sexta-feira, 2 de abril de 2010

Parte IV - Diário de bordo do Pedro


30/03-Hj estou muito felizinha (apesar das saudades do benzo, dos filhos, mamma, amigas), pois ganhei um livro num sorteio de um blog, http://www.oqueelasestaolendo.blogspot.com/, “Posso namorar pelado?” sobre como falar de sexo com os filhos, que claro vou dar p/ a mãe do meu neto... rssrs! Adoro livros, e ganhar então, é bom demais!!!
E outra coisa linda que preciso registrar: no rio que passa em frente do apto da Pati e do Junior aqui em Groningen nadam vários patos, famílias de patos, aqueles com a cabeça verde, bonitos de morrer! E ontem passou um cisne todo garboso, e hj, além de um cisne solitário, apareceu um casal de cisnes também! Lindíssimos! (Como sei que é um casal? Oras bolas, porque sei!)
Com certeza vieram conhecer o Pedro! Presente lindo de Deus para não esquecermos de agradecer a cada dia tudo de bom que Ele nos oferece gratuitamente! Obrigadíssimo!!!

O tal do Infacol não está dando certo não, hj vamos mudar para a Funchicória. Cólica é cólica em qualquer lugar do mundo, e só passa com uma coisa: quando o bebê faz 3 meses... Mas as dele não são tão fortes, nem podemos reclamar, dá muita peninha quando elas se iniciam, but...
O pequerrucho continua lindo, e esta noite dormiu um pouco comigo na sala. Passou uma noite melhor que a retrasada, que foi a pior até hj, por conta das cólicas.

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Diário sobre o Pedro - Parte III

Hj, dia 30/03, o Pedro e a Pat receberam visita de uma vizinha holandesa, aliás, vieram os dois, mulher e marido. Super simpáticos, tinham marcado horário p/ visitar, e chegaram em cima da pinta:18hs.
Servimos pão de queijo e as famosas torradas holandesas com confeitos azuis. A Pati ficou muito contente, pois é muito bom fazer amizade com vizinhos, quando o calo aperta, temos com quem contar.
A Diovana, amiga da Pati, sempre dá uma passadinha p/ ver os dois. Veio hj também.
A Astrid passa e mail sempre, muito fôfa! Acho que ela também gostou muito dessa família!
Ontem o Pedro não teve cólicas, está tomando 2 gotinhas do Infacol, 2 vezes ao dia; vamos ver hj.
A Pati e eu nos divertimos todos os dias com o Pedro; estamos fazendo tudo certo, mas às vezes fazemos cada trapalhada, quer dizer, eu faço, ela não, é muito certinha. Hj me embananei com a água do banho, deixei muito quente, tiramos a roupa do Pedro, e a água tava pelando! Aí, ela “quase ficou brava comigo”, mas saiu correndo, pegou uma caneca com água fria, aí lembramos que queríamos pesá-lo, saí correndo de novo para buscar a balança, e ficamos doidas que ele engordou mais ainda! É td mais ou menos, mas deu entre 3.800 a 3.900, e 54 ou 55cm. Lindo demais!!!!! E o banho foi delicioso!!!! É o momentinho da vovó!!!! EU AMO!

terça-feira, 30 de março de 2010

Diário- Parte II

26/03 - Ontem a noite o Pedro teve a primeira cólica, e a Pati não queria dar chupeta de jeito nenhum; mas de repente o Junior ferveu a chupeta e, com jeitinho, deu ao Pedro, e ele abocanhou com força, mas durou só alguns minutinhos. Jogou fora, e dormiu bem. Dormimos todos muito bem.
Hoje compramos o primeiro remédio de cólicas, Infacol. (Quem foi comprar foi o vovô, e só p/ eu nunca esquecer, disse ao atendente que era para seu “little boy”...aliás ele que fez todas as comprinhas rápidas (super mercado, beer, vinho...) nestes dias, ele se vira tanto quanto eu, que acho q sou a sabichona no inglês: rsrsrsrs, “êta maridão bão”!)
Dizem (a Astrid, em primeiro lugar!) q o remedinho é o máximo, é muito usado na Europa toda, é natural, e a Pati deu 1 gota antes de uma mamada, vamos ver o “funcionamento”. Eu trouxe o “Funchicória” de Rio Preto, mas ainda não foi testado.
Hoje o Pedro e a Pati receberam a primeira visita holandesa. Uma amiga que fez com ela o curso de gestantes, veio com os 3 filhos. Sim, 3 filhos?! Um garoto de 4, uma menina de 3, e a bebê de 3 meses! Todos lindos e graciosos, todos nascidos de parto natural, e ela quer mais um, in the next year. Sem nenhum comentário extra.

Outra dica da Astrid: não se deve cortar as unhas do bebê antes da sexta semana, só se usa uma lixa, e pronto! Fica perfeito!

27/03 - Vovô Ica foi embora hj, e passou o dia de ontem com os olhos marejando sem parar. Não estava conseguindo ir embora, imagina o que vai acontecer comigo! Mas, não vou pensar nisso hj, só qdo chegar a hora. Agora vou mais é curtir meu pitôco! E também a falta do meu amor, que também não sei se vou agüentar... AREBABA!
Vamos lá: Desde segunda feira, fui euzinha que dei o banho! Tem coisa melhor? Hj ele curtiu muito, porque pela primeira vez ele não ficou com muita fome, e parecia que queria ficar “nadando”...Também com uma mãe que praticamente nasceu na água, vai ver que vai ser nadador também. Os dois tios maternos também eram dois “peixinhos”..., então, já viu, né?
E hj, segundo as duas corujonas daqui, ele está mais lindo que ontem. Dormiu super bem, e sabe aonde? No berço, no quarto dele! Sim?! O Junior já tinha comprado uma super câmera (babá-eltrônica), e ficamos vendo o Pedro direitinho de onde estivermos! A Pati estava apreensiva, mas também achando que ele fica melhor no berço que no carrinho. Durante o dia, ele fica no berço, e até ontem, dormia no carrinho ao lado dela. Ele acordou de 3 em 3 hs, e dormiu muito bem, sonhando com os anjinhos. Ela está muito descansada e feliz da vida.
Como o Junior tinha uma reunião em Amsterdã, ficamos as duas muito sossegadas (eu meio borocochô, pq o benzo foi embora....”chega de falar isso...não chega...” ), fizemos uma torta de frango maravilhosa, e agora a Pati vai fazer minhas unhas...Não?!? Sim, tá dando tempo p/ isso??? Sim....
Obs. O Pedro não teve cólica, depois “da 1 gota” de Infacol, tomada ontem ao meio dia.

sexta-feira, 26 de março de 2010

Diário, ops, Semanário da vovó!

Quero guardar os registros desse momento particular da minha vida, e quem quiser acompanhar, pode ficar a vontade, e eu vou adorar!
Cheguei à Holanda com o Pedro completando 3 dias de vida, e fiquei embriagada de paixão. Ele é a coisa mais linda e gostosa do mundo!
Nossa rotina é muito fácil, e isso graças a tranqüilidade primeiram/ da minha filha, e depois de todos nós.
O Junior não se cabe de orgulho de ter um filho tão demais. O Vovô Ica, também não para de babar no primeiro neto, que é um sentimento único.
E euzinha, a vovó Sonica, recebeu a graça de Deus de partilhar de toda essa felicidade com segurança e muito bom humor. Penso que sentimento de vó é muito parecido com o de mãe, mas no duro, é mais sereno. Essa é a palavra certa: serenidade, que deve ser filha de todos os outros sentimentos...
Bem, vamos lá: assim que chegamos, tínhamos a companhia da Astrid, a enfermeira que acompanhou a Pati e o Pedro nestes primeiros 8 dias de vida nova. Que enfermeira!
Ficamos todos apaixonados por ela. Ficava por aproximadamente 6 horas, atendendo as necessidades dos 2, e depois fazia o que ela via por fazer: lavava, passava, cozinhava, passava aspirador de pó, molhava as plantas...
A comida passou a ser a nossa tarefa diária, ou melhor, tarefa do vovô, que cozinhava todo feliz e contente, e Astrid, adorou a comida, que ficava até além da sua hora combinada, quando o almoço atrasava.
Ela me ensinou coisas novas, pois uma vovó de primeira viajem, precisa saber que ela está defasada, não adianta mentir pra si mesmo, e achar que sabe tudo. Não sabe mesmo: euzinha, por ex, fazem exatos 26 anos que não trocava um recém-nascido!
E o Pedro me deu um baile e tanto! Alguém disse q é o mesmo que trocar um “polvo”, e eu, claro, achei a frase um exagero. Quando li, pois na prática é o verdadeiro filhote de polvo!. Meu Deus, parece que tem muitas perninhas e bracinhos, e eu me perdia nas fraldas e nos botões dos macacões! Por que será que são necessários tantos botões????? Cadê os velcros????
Rimos muito com nossas trapalhadas, e todos riram mais ainda das minhas, porque foram de lascar! Já melhorei um pouquinho...
Voltando à Astrid, uma coisa interessante que ela nos ensinou, foi a posição que se deve colocar a criança no berço, sempre do meio para baixo, e não com a cabecinha lá na cabeceira , “ a criança vai subindo conforme vai crescendo...”, ta bom, só vendo p/ entender. Legal e diferente.
Outra coisa muitooooo legalllll, e que funciona mesmo: quando ele chora, após a mamada, colocar o dedo indicador (higienizado, claro!) da mamãe, do papai ou da cuidadora (no caso aqui, a vovó Sonica), no céu da boca do Pedro, ele faz o mesmo movimento de mamar, e para de chorar! Incrível!!!!! Tudo para evitar a chupeta nos primeiros dias, e não dificultar o aprendizado correto da amamentação!!!!!
A prioridade para a vida saudável do bebê resume-se em três coisas: mamar, mamar e mamar!!!! (Essa dica é da Sonica!)
Ela o pesava todos os dias. No quinto dia ele já estava com o peso que saiu da maternidade, e no oitavo já tinha ganho 120 gramas!!!!
O umbigo caiu no quinto dia, eu não acreditava, pois os dos meus filhos demoraram no mínimo, 9 dias! Astrid não passava nada “para curá-lo”!!! Como, nada? Pois é, nada! E caiu rapidamente!

Agora vamos às peripécias da Pati, a mamma do ano:
Minha filha não me acordou nem um dia à noite. Hoje faz 11 dias que estamos aqui, e eu não levantei a noite nenhuma vez!!! Pode uma coisa dessas? Ela levanta sozinha, quietinha, não chama nem o maridão, vai para o quarto do Pedro, troca e dá o peito. Ele não acorda totalmente, mama e dorme.
Ela já perdeu os 10 quilos que ganhou!!!!! Não!?! Sim!!!
Conversa com o bebê o tempo todo que ele está acordado, relembro demais quando tive meus filhotes! Somos de “muita prosa”!
Está desencanada de tudo, e apaixonada pelo filho. Tem paciência e disposição. Sentiu dores fortes no trabalho de parto, ficou muito pouco tempo na maternidade: o Pedro nasceu às 4:18 e às 12:00 eles foram p/ casa! Eu não podia acreditar, e só pude rezar para que ela suportasse esse momento, que foi superadíssimo com o apoio do Junior, o maridão!
Está linda, feliz e APAIXONADA! Os “peitchos” estão lindos, e derramando leite p/ o Pedro! Graças ao bom Deus!
Hoje é dia 25/03/10.

sexta-feira, 19 de março de 2010

A delícia de ser vovó!!!!!

A emoção é tamanha que a felicidade chega a ser plena!
Quando as amigas diziam coisas semelhantes, sempre pensei: "que exagero, não pode ser diferente de quando tive meus filhos!"
A minha experiência: "a emoção é a mesma, e a sensação é outra, inexplicável, penso que particular, só minha. Deliciosa, sem a preocupação e responsabilidade de mãe, mas com a confiança de uma mulher realizada e feliz com o que Deus lhe dá."
Minha filha me surpreendeu; sim, tenho confiança na educação que demos, mas a confiança que ela tem em Deus e nela mesma me encantou. É uma mãezinha e uma mãezona, depende da hora.
O carinho sentido entre ela e o marido são de emocionar os poetas: cumplicidade, respeito, harmonia, e muito amor, todos "batidos no liquidificador", resultam a convivência dos dois!
E eu, feliz, continuo minha jornada, ops!, minha nova jornada!

terça-feira, 9 de março de 2010

Até breve!

Estou terminando as malas, embarco no final da semana, e não tenho tido tempo para algumas coisas, e entre elas, Internet! ... vou ficando por aqui! Logo, logo, as novidades estarão postadas, se Deus quiser!!!!!

sábado, 27 de fevereiro de 2010

Semana "fora do combinado"!

Como sou (somos!) frágil! Penso que sou mulher-maravilha, mas quê, sou igual a todos, e de repente posso sucumbir!
Fiquei um dia-e-meio de cama, nada de cumprir agenda, nada de conseguir ficar em pé e morreeeeeeeendo de medo de "estar com dengue" (pois na minha cidade ela está galopante, os casos estão assustadores!), mas no final do fritar dos ovos, era só uma virose! Ufa, e obrigada meu Deus! A semana está no fim e eu estou bombando!
Filhão veio pra casa da mamma, mamma estava morrendo de saudades e tinha um sábado cheio, e cheio de coisas que também adora.
De manhã assistir a um filme-documentário de uma amiga de minha filha, "Fragmentos de um bairro", e participar da discussão: fui, todos ficaram dormindo, e valeu muito a pena!
Aí tínhamos um almoço na casa de um casal amigo, para comemorar aniversário. Preferimos uma churrascaria para podermos colocar metade do papo em dia e ficarmos juntinhos.
Na parte da tarde, uma palestra sobre Bioética, com um médico e psicanalista que faz parte do Comitê Brasileiro e Internacional da mesma. Estava interessadíssima, e fui, claro. Excelente.
Refletimos de Aristóteles ao Projeto Genoma. Da pílula anticocepcional à clonagem humana. Dos Shopping Centers aos Cemitérios (...fiquei "bege" ao saber que no cemitério da cidade do Cairo, vivem hoje 1,5 milhão de pessoas VIVAS!!!! Ele foi invadido, como podem também os nossos serem invadidos pelos sem-terra ou sem-nada, ou melhor ainda, pelos sem-medo!). Da vida a morte. E tudo foi alinhavado e costurado. Com barra e tudo.
Conheci palavras novas (pra mim, of course!): distanásia, por exemplo, e living will.
Que vontade de ficar escrevendo um monte de reflexões, interrogações e dúvidas...mas agora vou paparicar minha cria, que esse desejo superou a escrita, e preparar com muito carinho um "abadejo a belle muniére"...

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

33 ANOS!

Não não, não é de idade não, são 33 ANOS DE CASAMENTO!!!!
Não é o máximo??????
E só tenho que agradecer a Deus, porque são realmente 33 anos de muito amor e cumplicidade!
But, como diz uma amiga, quando o produto é muito bom, não é necessário muita propaganda!
Não concordo, acho que deve ser PROPAGADO AOS QUATRO CANTOS SIM, que o casamento bem constituído, que provoca prazer, que promove a evolução dos dois, o companheirismo, a paz, e principalmente o porto seguro para os filhos (e quiçá para os netos...), é uma das MELHORES COISAS DO MUNDO!!! Só que propaganda do meu MARIDÃO, volto a seguir minha amiga, NÃO VOU FAZER MESMO!!!!
A única coisa que vou gritar bem alto, é: "Te amo, benzo!"
E para concluir, um verso do Caymmi, que acordei toda feliz e cantarolando:
"...Pobre de quem acredita,
na glória e no dinheiro para ser feliz!!!!"

domingo, 7 de fevereiro de 2010

Missa: a visita e a acolhida.

Prá mim, ir à Missa é uma delícia, um conforto, uma "recarga"!
Não nego que às vezes não estou muito a fim, mas pondero como sendo a mesma preguiça que sinto algumas vezes de visitar minha mãe, a minha sogra, uma amiga, etc., quando considero ´somente' obrigação.
Esse encontro dominical, vendo como uma visita a alguém que está me esperando de braços abertos, com a mesa posta, aguardando ansiosamente pela minha presença, é a revigoração que inicia minha semana. E quando sinto Sua presença, Sua acolhida calorosa, seu Peito aberto, fico em paz, com Aquela paz, a Sua Paz.
E fé, não adianta negar, tem que ser cultivada. É também uma dádiva, claro, um presente Dele, mas não devo deixá-la num canto, esquecida e abandonada.
Crer em coisas não palpáveis, pode parecer loucura. Dar um salto na escuridão, não é pouca coisa. É necessário que nesses encontros semanais haja essa descoberta desconcertante, essa alegria que palpita, para que transformemos nossas vidas.
Entendi que não bastava dizer que acreditava em Deus, por uma tradição de família, ou até cultural; não, interpretar a vida, a família, os acontecimentos, o trabalho, as tragédias, a fome, a imbecilidade que acomete a televisão, a política que me perturba, a corrupção, a paz que reina em alguns lugares contra a guerra em outros, a tristeza, a felicidade, etc., etc., e tudo que não conseguirei nenhuma explicação, tinha QUE TER UM SIGNIFICADO MAIOR, uma modificação no meu modo de pensar.
Não ter medo, caminhar em frente, pensar um pouco antes de tomar uma atitude, ouvir o que o outro tem a falar, ter vontade, tentar mudar o rumo de uma prosa desgastante, confortar, nem que seja só com a presença, tem tudo a ver com fé.
Se a fé não transformar para melhor, não "mover montanhas", não te fazer melhor, não é fé. Aquilo que aprisiona, que não deixa refletir nem modifica o modo de perceber as coisas, é alguma outra coisa, menos fé.
Conseguir olhar o outro (qualquer outro!) sem ameaças, concorrências, e com a possibilidade de poder fazer alguma coisa, foi a minha grande experiência da fé.
A fé, a amizade, o amor, a caridade tem que ser regada como uma planta melindrosa. Se coloco muita água ela afoga, se deixo de regar, ela morre. E é na Missa que vou encontrar "o colo que preciso" para descansar e me encorajar, e a água para a meu "jardim".

sábado, 30 de janeiro de 2010

A gente é o que a gente gosta!

Cheguei ao blog da Martha Medeiros "por acaso", será??? Adoro suas crônicas, contos e livros, e fiquei feliz ao encontrá-la no mundo dos blogs.
Num post, ela sugere que somos nossa comida preferida, os cantores e escritores que curtimos, as roupas que vestimos, a estação do ano preferida, as cidades que nos encantam...
Adorei a idéia, aceitei o convite e insisto para que arrisquem também, se quiserem, é claro!


Sou verão, disparado. E também primavera. Sou pouco outono e quase nada inverno.

Sou música. Sou Chico e Caetano. Sou Gal, Rita, Roberta Sá, Marisa Monte, Viníciuse e Toquinho. Sou completamente Tom. Sou samba-canção e sambão. Sou Roberto. Sou Beatles, Paul, Sinatra. Sou Mozart e Beethoven. E tantos.

Sou feijoada, lombo, pão, queijo, salada. Sou camarão e peixe. Sou legumes e verduras. Sou filé com tudo. Sou sorvete, cachorro-quente e frutas. Sou salgado. Sou doce. Sou um poco mais salgado.

Sou livros. Sou Fernando Pessoa. Sou Freud. Sou Yalom. Sou Saramago. Sou Cony. Sou Matha. Sou Jabour. Sou Nelsinho. Sou Veríssimo. Sou Jorge Amado. Sou G. Rosa, M. Assis. Sou "escritores a vista". Sou muitos e outros tantos.

Sou coca-cola. Sou água. Sou Sol e praia. Sou Ilha do Cardoso. Sou interior. Sou N. York e Orlando. Sou Veneza, Rio de Janeiro, São Paulo, Paris, Viena, Londres, Groningen... Sou Rio Preto. Sou cosmopolita.

Sou CDs. Sou jornais. Revistas. Internet. Sou pouco TV. Sou muito filmes, cinema e DVD. Sou teatro. Sou música. Sou MPB.

Sou preto e branco. Azul. Verde. Vermelho. Sou cabelo armado. Sou jeans. Sou ar condicionado. Sou carro. Não sou bike. Sou a pé. Sou hidrantes. Sou caminhada. Sou muitos banhos. Sou calor. Sou academia.

Sou falante. Sou mais dia que noite, já fui o contrário. Sou flor. Sou música e silêncio.Sou mais cerveja que vinho. Sou mais champagne que caipirinha. Sou mais pizza que banquete. Sou esmalte vermelho. Sou lápis preto no olho. Sou batom escuro. Sou vitamina. Sou casa confortável. Sou luz forte. Sou protetor solar. Sou mulher. Sou esposa. Sou família. Sou amigos. Sou mãe. Sou sonho. Sou eu mesma.

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

O importante é o que voce espalha...

...e não o que voce junta!

Recebi um e mail hoje que terminava assim. Tocou no fundo da minha alma e fiquei perplexa, pensando na provocação dessa frase.

Juntei mais ou espalhei mais?

Juntei mais o que?

Espalhei mais o que?

Por que isso e não aquilo?

Aonde espalhei?

Por que juntei?

Quem atingi?

E quem não viu?

Sim, claro, pensei também nas coisas materiais, mas a reflexão viajou profundamente pelos sentimentos, pelas amizades, pela família...

Interessante, muito interessante.



quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Escândalo na política!

Não suporto mais tanto escândalo! Enchi completamente desses imbecís que estão nas paradas!
O que fazer, para que aconteça ou mude alguma coisa? Onde gritar ou denunciar? Pra quem denunciar? Arruda, Sarney, o prefeito da minha cidade: Valdomiro, o presidente do país, os vereadores, os senadores, os suplentes...??????
Não sei, não sei e NÃO SEI! É tanta mentira, omissão e falcatrua que me esgotei.
Nada muda, leio as mesmas baboseiras de sempre, ou melhor, cada dia piora um pouco mais. E hoje passou dos limites!
O presidente dessa República, ganhou o título de Estadista Global do Fórum de Davos! NÃO ACEITO! É aquele título que ele e a patota toda do PT, odiavam até pouco tempo, pois diziam ser o símbolo do capitalismo selvagem. Indignada e solidária a Clóvis Rossi, também queria saber se o outro fórum, o Social, daria prêmio semelhante a ele.
As eleições estão aí, e a baixaria total também. Será que algo vai mudar? Será que esta corja vai continuar? Votaremos conscientemente, analisando friamente os candidatos, e escolhendo esses representantes com a razão? Apesar do meu otimismo, não encontro nenhuma resposta positiva.
Basta, por hoje. Cansei.

sábado, 16 de janeiro de 2010

AQUELA MULHER

Zilda Arns foi aquela mulher, a mulher que fez de um simples gesto, "uma atenção especial às crianças desnutridas e gestantes pobres", derrubar o índice de mortalidade infantil nos países pobres. Por isso, estava no Haiti, e não por isso, foi vítima do terremoto.
Segundo ela, seu objetivo de vida partiu do Evangelho de Jesus, mais especificamente, da "multiplicação dos pães", e resolveu imitá-lo.
Em um país onde a maioria imita aqueles, que que tem como referência a "lei de gérson", a esperteza, a corrupção, "o rouba mas faz", a falta de respeito e da ética, a ganância, o poder, a falsidade, e um milhão de etc, aquela mulher vai fazer falta. Ninguém é insubstituível, mas alguns são imprescindíveis e inesquecíveis, e Zilda foi uma delas. Médica pediatra, era mais conhecida como Dona Zilda. Seu método foi adotado por muitos países, e o resultado surpreendia. Pensava primeiro em "recursos humanos", pessoas disponíveis para arregaçar as mangas e enfrentar a pobreza e a falta de informação; subia morros, e subiu o país, chegando a todo canto, sempre sorridente e pronta para uma ajuda desinteressada.
No lançamento do Fome Zero, discordou de exigir dos beneficiários comprovantes de gastos em alimentos, penso que acreditava naquelas pessoas tão sofridas. Publicou um artigo na Folha, "Fôlego para o Fome Zero": "...A política social não deve estar sujeita à política econômica. É hora de mudar esse paradígma. É a política econômica que deve estar sujeita ao combate da fome e à miséria. Erradicar os comitês gestores seria um grave erro, por destruir uma capilaridade popular que fortalece o empobrecimento da sociedade civil;(...) por reforçar o poder de prefeitos e vereadores que nem sempre primam pela ética e pela lisura no trato com os recursos públicos. O governo não deve temer a parceria da sociedade civil, representada pelos comitês gestores." O seu apelo não foi ouvido, e os comitês foram erradicados.
O governo continua imune ao contágio da integridade de Dona Zilda.
Resta-nos a dignidade dessa mulher e a certeza de que ações voluntárias e comunitárias são o caminho para um mundo melhor. Oxalá aquela mulher seja um ícone de imitação.
OBS: Alguns dizeres foram baseados no texto de Frei Betto, publicado na Folha, dia 14/01/10, Zilda Arns, a mãe do Brasil.


domingo, 10 de janeiro de 2010

Beethoven

Um filme que massageia a alma. Choro quase o filme todo, e ao mesmo tempo sinto a presença de Deus coladinha em mim. Por que? Porque sei que uma das formas de comunicação Dele é através da música, e com a clássica Ele me atinge diretamente na alma. A Nona Sinfonia de Beethoven é a minha preferida, apesar do Mozart me deixar nas nuvens ( além de outros compositores, of course!).
Respiro música, cada dia um estilo, um compositor, um cantor, um gênero, etc, e assim vou vivendo feliz pela vida, deixando que ela me leve...(com sua licença, Zeca!).
Nesse filme a cena mais emocionante para mim, é quando ele rege com surdez total, uma orquestra e um coral, justamente a "Nona"; fiquei em êxtase por uns momentos, absorvendo a maravilha da cena, para ser lembrada quando necessário.

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

"Sempre ao seu lado"

Ontem fomos ver esse filme, e constatei outra vez como o simples é delicioso e encantandor. Saímos para assistir "Avatar". Lotadérrimo. Vi o cartaz desse filme, e pensei que seria triste, e não estava a fim de tristeza. Bebericamos algo no Shopping, mas a vontade de um cinema falou mais alto. "E aí, vamos arriscar?", perguntei ao marido, que concordou um pouco desanimado. Entramos sem pretensão alguma, e saímos cheios de emoção.
Uma história de lealdade e escolha, ou melhor, escolha e lealdade; singelo, sem feitos heróicos ou efeitos especiais. Simples assim.
Como foi o primeiro filme do ano na telona, quero deixar registrado. É "uma aventura emocional", apesar de ser catalogado como drama. Como sou também estimulada pela propaganda, adoro quando conquisto filmes, músicas e livros que não estão nas "hit parades", e este foi dez.

sábado, 2 de janeiro de 2010

Felicidades, filho querido, muitas felicidades!!!!

Re, Que Deus te abençoe!
Penso que não existe melhor presente do que as bençãos de Deus! E para completar, as orações da mamma...
Desejo de todo coração que sua vida seja cada vez melhor, que a dignidade seja seu escudo, que o ser ande sempre na frente do ter, que o amor permeie todo seu caminho e que sua caminhada ao lado da sua mulher e dos filhos que hão de vir, seja de respeito e de harmonia.
Você é simplesmente incrível. Quando pequenino já era admirado pela inteligência; seus pensamentos sempre foram de "gente grande", suas redações ganhavam prêmios, seus desenhos, cálculos e contas "de cabeça", nos deixavam "abobalhados"...
A simplicidade, a atenção e o carinho para com todos, sempre foram seus companheiros do dia-a-dia; não tinha "tempo ruim" com você, estava sempre disposto a ajudar, e não era capaz de pensar só em você, pensava no "coletivo".
Foi crescendo,crescendo..., e tornou-se melhor ainda (como se fosse possível!). Trouxe o que era necessário para o ser adulto, e hoje é um Homem, assim, com esse H enorme!
Poderia pontuar muito mais, mas vou optar pela discrição, e ficar por aqui. Você é também, muito discreto; não gosta de vangloriar-se, e acredito piamente, que essa qualidade é uma grande dádiva de Deus. Continue assim, meu filho; te amo muito.
Com muito carinho e amor!

Livros, meu relax n. 1:2016,2015,2014,2013, 2012, 2011, 2010 , 2009

  • Vivências de um psicanalista
  • Um sentido para a vida
  • Sobre a amizade e outros diálogos
  • Segredos e atalhos do iPad - 2011
  • Quase tudo
  • Putz, virei minha mãe!
  • Purgatório
  • Psicanálise dos Milagres de Cristo - 2011
  • Poemas completos de Alberto Caieiro
  • Pense Magro
  • Pensar é transgredir
  • Os catadores de conchas
  • O show do eu
  • O mundo pós-aniversário
  • O monge e o executivo
  • O menino do pijama listrado
  • O livro das ignorãças
  • O livro da sabedoria
  • O estrangeiro
  • O caçador de pipas
  • O brincar e a realidade
  • No divã do Gikovate
  • Niketche - 2011
  • Nietzsche para estressados - 2011
  • Na presença do sentido
  • Millenium
  • Mentes Perigosas
  • Memórias das minhas putas tristes
  • Me larga!
  • Marley e eu
  • Mamãe, posso namorar pelado?
  • Mamãe e o sentido da vida - 2011
  • Longe daqui
  • Leite derramado
  • Ilha Deserta - Livros
  • Ilha Deserta - Filmes
  • Histórias das minhas putas tristes
  • Hamlet
  • Freud - Vol.XIV - 2011
  • Freud - Vol. XXIII
  • Freud - Vol. XXII - 2011
  • Freud - Vol. XXI
  • Freud - Vol. XVIII - 2011
  • Freud - Vol. XVII
  • Freud - Vol. XIX - 2011
  • Freud - Vol. XII
  • Freud - Vol. XI
  • Freud - Vol. VII
  • Freud - Vol. V - 2012
  • Freud - Vol. IX
  • Fora de mim - 2011
  • Família de alta perfomance
  • Fadas no divã, Diana L. Corso e Mario Corso
  • Fadas no divã
  • Eu sei que vou te amar
  • Enquanto o amor não vem
  • Doidas e santas
  • Divã
  • De frente para o Sol - 2011
  • Crime e castigo
  • Conversas sobre terapia
  • Contra um mundo melhor -2011
  • Comer,rezar,amar
  • Cartas a um jovem poeta
  • Caim
  • As pequenas memórias
  • As intermitências da morte
  • Amor é prosa, sexo é poesia
  • Alter Ego
  • Agape - 2011
  • Aforismos - 2011
  • A trama do equilibrio psiquico
  • A sabedoria dos mitos gregos - Aprender a Viver II - 2011
  • A sabedoria da vida
  • A idade dos milagres
  • A história de Edgard Sawtelle
  • A doçura do mundo - 2011
  • A cidade do sol
  • A Cabana
  • 2016-Verdades e Mentiras, Cortella, Dimenstein, Karnal e Pondé
  • 2016-Pressentimentos e suspeitas, Ivo Storniolo
  • 2016-O poder do discurso materno, Laura Gutman
  • 2016-O oitavo selo, Heloisa Seixas
  • 2016-O ano do pensamento mágico, Joan Didion
  • 2016-Mulheres de cinza, Mia Couto
  • 2016-Freud, obras completas, vol. 18
  • 2016-Felicidade ou Morte, Clovis de Barros Filho e Karnal
  • 2016-Enclausurado, Mc Ewan
  • 2016-Dias de abandono, Elena Ferrante
  • 2016-Depois a louca sou eu, Tati Bernardes
  • 2016-Como eu era antes de você, Jojo Moyes
  • 2016-Ah, que bom que eu sei, Brugitte Gross e Jakob Scheneider
  • 2016-A Peste, Albert Camus
  • 2016-A noite do meu bem, Ruy Castro
  • 2016-A felicidade é fácil , Edney Silvestre, Segunda Leitura
  • 2016-A árvore familiar, Denny Johnson
  • 2016-A alma imoral, Nilton Bonder
  • 2016- O livro dos insultos, H.L. Mencken
  • 2015-Tomar a vida nas próprias mãos , Gudrun Burkhard
  • 2015-Pimentas, Rubem Alves
  • 2015-Pequeno tratado das grandes virtudes - André Comte-Sponville
  • 2015-Pai rico pai pobre - Robert T. Kiyosaki
  • 2015-Os amigos, Hamlet L. Quintana
  • 2015-Onde foi que eu acertei? Francisco Daudt
  • 2015-O sol é para todos", Harper Lee
  • 2015-O que a vida me ensinou, Mario Cortella
  • 2015-O incolor Takurukami..., Haruki Murakami
  • 2015-O brilho do bronze, Boris Fausto
  • 2015-Numero Zero, Umberto Eco
  • 2015-Na berma de nenhuma estrada, Mia Couto
  • 2015-Interpretação e manejo na Clínica Wiicottiana, Ela O. Dias
  • 2015-Dom Quixote, Miguel de Cervantes
  • 2015-Diga aos lobos que estou em casa, Carol R. Brunt
  • 2015-Criaturas de um dia, Irvin Yalom
  • 2015-Como envelhecer, Anne Karpf
  • 2015-As pequenas virtudes, Natalia Ginzburg
  • 2015-A visita cruel do tempo, Jennifer Egan
  • 2015-A mágica da arrumação , Marie Kondo
  • 2015-A grande arrete de ser feliz, Rubem Alves
  • 2015-A filosofia de Rudolf Steiner e a crise dompensamento contemporâneo, Andrew Welburn
  • 2015- Pensar bem nos faz bem, M. S. Cortella
  • 2015- Nao nascemos prontos, M. S. Cortella
  • 2014-Uns cheios, outros em vão, Heloísa Seixas
  • 2014-Um rio chamado tempo, uma casa chamada terra, Mia Couto
  • 2014-Totem e Tabu, S. Freud
  • 2014-Textos de Winnicott
  • 2014-Textos de Pichon Riviere
  • 2014-Textos de Grupos, uma visáo psicanalítica
  • 2014-Textos de Bion
  • 2014-O segredo do meu marido, L . Moriestay
  • 2014-O retrato de Dorian Gray, Oscar Wilde
  • 2014-O nome próprio, Francisco Martins
  • 2014-O fotógrafo, Cristóvão Tezza
  • 2014-Fim, Fernanda Torres
  • 2014-Ensaio sobre a mentira, José Outeiral
  • 2014-Do universo à jabuticaba, Rubem Alves
  • 2014-Conhece-te a ti mesmo, José Outeiral
  • 2014-Adultescer, J. Outeiral
  • 2014-A revolta do corpo, Alice Miller
  • 2014-A festa da insignificância, Milan Kundera
  • 2014-A Ciranda das Mulheres Sábias, Clarissa P. Estés
  • 2014-1Q84, Vol. IIIHaruki Murakami
  • 2013 - Voce já pensou em escrever um livro?
  • 2013 - Subliminar
  • 2013 - Sr. Psicólogo, diga-me como ser feliz
  • 2013 - Por que você é minha - I
  • 2013 - Por que você é minha - II
  • 2013 - Por favor, cuide da mamãe
  • 2013 - Os quatro vínculos
  • 2013 - O Rabino e o Psicanalista
  • 2013 - O psicanalista vai ao cinema
  • 2013 - O oceano no fim do caminho
  • 2013 - O fio das missangas
  • 2013 - Nu, de botas.
  • 2013 - Inferno
  • 2013 - Filosofando no Cinema
  • 2013 - Elogio da mentira
  • 2013 - A vida que vale a pena ser vivida
  • 2013 - A graça da coisa
  • 2013 - A arte de amar
  • 2013 - 1Q84 Vol. II
  • 2013 - 1Q84
  • 2012 - Se eu fechar meus olhos agora
  • 2012 - Rimas de Vida e de Morte
  • 2012 - Profissão: Bebê
  • 2012 - Os sentidos da vida
  • 2012 - O retorno do jovem príncipe
  • 2012 - O clube do filme
  • 2012 - O amor companheiro
  • 2012 - Mulher Desiludida
  • 2012 - Fragmentos Clínicos de Psicanálise
  • 2012 - Feliz por nada
  • 2012 - É tudo tão simples
  • 2012 - Depressão:dos sintomas ao tratamento
  • 2012 - Como manter a mente sã
  • 2012 - Como deixar de ser gordo
  • 2012 - Como amar uma criança
  • 2012 - A queda
  • 2012 - A poesia do encontro
  • 2012 - A felicidade é fácil
  • 2012 - A elegância do ouriço
  • 2012 - A criação, segundo Freud