Páginas

Seguidores

Marcadores

Amigas (9) Blogando... (3) Brasil (4) Cidade (1) Citaçáo (1) DVDs (1) Enquete (1) Família (4) Felipe (2) Férias (1) Festas (4) Filhos (13) Filme (3) Filmes (2) Filosofando (10) Livros (27) Mãe (8) Mulher (7) Música (5) Pai (5) Pausa... (1) Pedro (20) Pensamento (2) Pensando... (22) Piada (2) Poesia (2) Política (9) Refletindo... (40) Tina (1) Viagem (11) Vovó (4)

sábado, 28 de janeiro de 2012

"Minha alma canta..."

Converso e leio que muitas pessoas tem momentos de inspiração em horários inusitados, e que logo depois, quando não foi possível anotar nenhuma palavra, tudo aquilo que foi pensado e repensado, desaparece completamente, e não é lembrado nem por reza brava. Ibisen ibidem. Não sei bem se está correto, mas enfim, comigo acontece igualzinnho.
Quando estou na minha caminhada na represa, às vezes assistindo um filme, outras ouvindo uma música, outras tomando banho, conversando, num restaurante...vem um lampejo de algo tão gostoso, ou triste, e daí não tenho onde anotar nada, e penso: assim que pegar uma caneta, ou chegar até o computador, dou uma pincelada. Que nada! Aquilo toma um chá de sumiço, que nem se onde vai parar...e quando estou com tempo  não sai nadica.
Bem, mas "vamo que vamo", talvez ficar com uma caneta e um papel em sentinela, seja uma solução, ou um gravador! Eureka!
Mas aí, bem, aí chega o meu querido Tom Jobim, que eu amo de paixão, que  disse  que ainda bem que ele tinha uma caneta quando estava sobrevoando o Rio de Janeiro, chegando de uma viagem,  e teve aquela inspiraçãozinha de leve , enquanto apreciava aquela paisagem maravilhosa e aconteceu só isso:
    Minha alma canta,
   Vejo o Rio de Janeiro,
   Estou morrendo de saudades
   Rio você...Foi feito prá mim...

30 comentários:

  1. Que legal teu post. E pra mim também acontece. Há noites em que me aparece quase um texto completo. Não levanto por preguiça e lá se foi. NUUUUUUUUUUnca mais volta!!!


    beijos praianos,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que vc gostou, Chica! Sua opinião é sempre muito valiosa!
      Bjs e ótima praia!

      Excluir
  2. Deve acontecer com toda a gente.Por vezes se estou num café pego no guardanapo do café e tomo nota.São momentos que chegam e somem , e não voltam.Não se escreve quando se quer, só quando está na "hora"
    Até brve
    Herminia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bela sacada, Hermínia! Só se escreve qdo está na hora!
      Bjão,

      Excluir
  3. Vai estrear no cinema um filme sobre Tom e suas canções, tá sabendo ?
    Uma pérola :)

    Sobre os esquecimentos, há que se treinar a mente, eu e meu irmão temos uma mania de do nada inventar de lembrar o nome daquela atriz, daquela novela, do nome do personagem, de um autor, uma marca de algo que nem existe mais e enquanto não lembramos, perguntamos a td mundo, pesquisamos, forçamos a cachola até lembrar, não sossegamos, parece que vale um prêmio...rsrs

    Fazer cruzadinha diz que ajuda nesse sentido, de ter estalos rápidos e memorização.

    Eu leio ou escuto uma frase ou um texto, em um comercial, uma placa, em um filme, pego lápis (sempre deve haver um em td canto: sala, cozinha perto do telefone, dentro das bolsas...)...se não der tempo ouço e fico me repetindo até achar onde anotar, anoto desde o fundo de uma conta, ate papel de recados mesmo, ou guardanapo, cx de sabão em pó, o que eu achar pela frente...rsrs

    Tem tb a opção de abrir a opção de mensagem de texto do celular, digitar so um trecho pra lembrar ou td se quiser e salvar em rascunho....Abrir o editor de texto do pc e escrever.

    Sabia que se vc anota a chance de lembrar sem precisar olhar o que anotou é grande?...Dica de educadora.
    Tem quer fazer questão, se exigir, exigir da mente e da ação.
    E tenho dito...risos

    Uma semana sábia, descontraída, colorida, perfumada e saborosa pra vc :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa Tina, adorei seu comentário!
      Até na caixa do sabão....rsrsrsrsrsrsrsr....mas vc está certíssima, preciso me acostumar a isso!
      Bjssss,

      Excluir
  4. Obrigada Sonica, pelo comentário.
    É uma honra saber que aquilo que escrevemos toca, mesmo que levemente, na alma de alguém.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  5. Isso acontece muito comigo. As vezes tenho um texto completo na cabeça... As vezes na hora não tem como anotar, acabo esquecendo depois. Adorei sua postagem. Beijos e ótima semana.

    ResponderExcluir
  6. bah sou igual!!!

    esses dias, um professor me falou: "o que falta hoje em dia para os estudantes, é memória"

    bjos

    ResponderExcluir
  7. Oi Sonica,

    Isto é bem verdade. Ou você anota a ideia no momento em que a inspiração surge ou ela abandona você momentaneamente. Melhor mesmo é estar com a caneta e o papel de prontidão (rsrsrsrs).

    Beijão.

    ResponderExcluir
  8. "Letras"e Vera!
    Coincidências deliciosas....
    Bjs,

    ResponderExcluir
  9. Verdade...senão a gente esquece, beijo Lisette.

    ResponderExcluir
  10. Linda, já me aconselharam a ter papel e lápis para, no momento de acordar, anotar os sonhos.
    Beijo

    ResponderExcluir
  11. Ando sempre com um bloco e caneta na minha carteira...mas ás vezes a inspiração vem quando estou a conduzir...mentalmente, faço o texto mas, na hora de transpor para o papel, já não é o mesmo...Estou a pensar em comprar um pequeno gravador. Sério, acho que é solução mais certa!!
    Beijocas.
    Graça

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Penso que o gravador é mesmo a solução, Graça!

      Excluir
  12. Querida Sonica, passo por isso muitas vezes. Tem horas que vem-me uma estrofe de poema, confio na memória e, quando vou tentar pôr no papel, onde está mesmo a poesia? Stephen King - escritor de terror norte-americano -, disse que as grandes obras são aquelas que ficam na memória, aquelas que pensamos e vão-se como vieram, não eram para nascer. às vezes penso assim. Beijo do Gonçalves.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo seu comentário!
      Ótimo f.d.s.!

      Excluir
  13. Sonica querida, muito sincero teu texto e quem escreve, se identificou com certeza, eu sempre gostei de escrever e uma época escrevia muito, tinha sempre um lápis e papel junto comigo, parava tudo e colocava as palavras chaves para não perder aquele momento iluminado da inspiração, depois era pura expiração juntar as palavras e concluir a idéia, mas dava muito certo, amei seu post, bjinhos flor, um findi fabuloso para vc.

    ResponderExcluir
  14. Olá, brigada pelo seu comentário no meu blog! Ah, e o bom é sempre termos por perto uma caneta e um papel msm para aproveitarmos nosso momento de inspiração...eu escrevo letras de música e as vezes mesmo de madrugada eu paro para escrever, senão no dia seguinte sei que já terei esquecido rs, bjus!

    rebeca-mello.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. Olá querida,

    Obrigada pela visita. Sua presença ilumina meu recanto.

    Desejo-lhe um lindo final de semana.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  16. Pois eu muitas vezes mesmo com o papel e a caneta por pertos, não consigo escrever a inspiração q em um segundo atrás estava comigo :(

    ResponderExcluir
  17. Queridas Eva, Rebeca, Vera e Regina,
    Seus comentários são muito bem vindos! Obrigada!
    Bjs

    ResponderExcluir
  18. Papel e caneta é comigo mesmo!!
    Boa semana pra vc, fica com Deus e um forte abraço!!
    http://cmari.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  19. QUERIDA SONICA, QUE BOM ESTÁ AQUÍ OUTRA VEZ, TUDO DE BOM. VC FALA EM ESQUECIMENTO. E QUANDO VC FICA COM ALGUMA COISA NA CABEÇA E NÃO SAI DE JEITO NEMHUM , ACONTECE COM UMA MÚSICA , PODE SER UM COMERCIAL VC PASSA O DIA REPETINDO AQUILO COITADO DE QUEM ESTIVER AO LADO E O PIOR SÓ CANTA UM TRECHINHO,E AQUILO PASSA DIAS ATÉ SURGIR OUTRA NOVIDADE, AGORA MESMO É O INICIO DA NOVELA DAS SETE, FICO O REMPO TODO, TEMPO, TEMPO,. CUIDADO É CONTAGIOSO RSRSRS. UM ABRAÇO QUERIDA . CELINA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, Celina! Acontece muitoooo comigo!
      Bj,

      Excluir

Livros, meu relax n. 1:2016,2015,2014,2013, 2012, 2011, 2010 , 2009

  • Vivências de um psicanalista
  • Um sentido para a vida
  • Sobre a amizade e outros diálogos
  • Segredos e atalhos do iPad - 2011
  • Quase tudo
  • Putz, virei minha mãe!
  • Purgatório
  • Psicanálise dos Milagres de Cristo - 2011
  • Poemas completos de Alberto Caieiro
  • Pense Magro
  • Pensar é transgredir
  • Os catadores de conchas
  • O show do eu
  • O mundo pós-aniversário
  • O monge e o executivo
  • O menino do pijama listrado
  • O livro das ignorãças
  • O livro da sabedoria
  • O estrangeiro
  • O caçador de pipas
  • O brincar e a realidade
  • No divã do Gikovate
  • Niketche - 2011
  • Nietzsche para estressados - 2011
  • Na presença do sentido
  • Millenium
  • Mentes Perigosas
  • Memórias das minhas putas tristes
  • Me larga!
  • Marley e eu
  • Mamãe, posso namorar pelado?
  • Mamãe e o sentido da vida - 2011
  • Longe daqui
  • Leite derramado
  • Ilha Deserta - Livros
  • Ilha Deserta - Filmes
  • Histórias das minhas putas tristes
  • Hamlet
  • Freud - Vol.XIV - 2011
  • Freud - Vol. XXIII
  • Freud - Vol. XXII - 2011
  • Freud - Vol. XXI
  • Freud - Vol. XVIII - 2011
  • Freud - Vol. XVII
  • Freud - Vol. XIX - 2011
  • Freud - Vol. XII
  • Freud - Vol. XI
  • Freud - Vol. VII
  • Freud - Vol. V - 2012
  • Freud - Vol. IX
  • Fora de mim - 2011
  • Família de alta perfomance
  • Fadas no divã, Diana L. Corso e Mario Corso
  • Fadas no divã
  • Eu sei que vou te amar
  • Enquanto o amor não vem
  • Doidas e santas
  • Divã
  • De frente para o Sol - 2011
  • Crime e castigo
  • Conversas sobre terapia
  • Contra um mundo melhor -2011
  • Comer,rezar,amar
  • Cartas a um jovem poeta
  • Caim
  • As pequenas memórias
  • As intermitências da morte
  • Amor é prosa, sexo é poesia
  • Alter Ego
  • Agape - 2011
  • Aforismos - 2011
  • A trama do equilibrio psiquico
  • A sabedoria dos mitos gregos - Aprender a Viver II - 2011
  • A sabedoria da vida
  • A idade dos milagres
  • A história de Edgard Sawtelle
  • A doçura do mundo - 2011
  • A cidade do sol
  • A Cabana
  • 2016-Verdades e Mentiras, Cortella, Dimenstein, Karnal e Pondé
  • 2016-Pressentimentos e suspeitas, Ivo Storniolo
  • 2016-O poder do discurso materno, Laura Gutman
  • 2016-O oitavo selo, Heloisa Seixas
  • 2016-O ano do pensamento mágico, Joan Didion
  • 2016-Mulheres de cinza, Mia Couto
  • 2016-Freud, obras completas, vol. 18
  • 2016-Felicidade ou Morte, Clovis de Barros Filho e Karnal
  • 2016-Enclausurado, Mc Ewan
  • 2016-Dias de abandono, Elena Ferrante
  • 2016-Depois a louca sou eu, Tati Bernardes
  • 2016-Como eu era antes de você, Jojo Moyes
  • 2016-Ah, que bom que eu sei, Brugitte Gross e Jakob Scheneider
  • 2016-A Peste, Albert Camus
  • 2016-A noite do meu bem, Ruy Castro
  • 2016-A felicidade é fácil , Edney Silvestre, Segunda Leitura
  • 2016-A árvore familiar, Denny Johnson
  • 2016-A alma imoral, Nilton Bonder
  • 2016- O livro dos insultos, H.L. Mencken
  • 2015-Tomar a vida nas próprias mãos , Gudrun Burkhard
  • 2015-Pimentas, Rubem Alves
  • 2015-Pequeno tratado das grandes virtudes - André Comte-Sponville
  • 2015-Pai rico pai pobre - Robert T. Kiyosaki
  • 2015-Os amigos, Hamlet L. Quintana
  • 2015-Onde foi que eu acertei? Francisco Daudt
  • 2015-O sol é para todos", Harper Lee
  • 2015-O que a vida me ensinou, Mario Cortella
  • 2015-O incolor Takurukami..., Haruki Murakami
  • 2015-O brilho do bronze, Boris Fausto
  • 2015-Numero Zero, Umberto Eco
  • 2015-Na berma de nenhuma estrada, Mia Couto
  • 2015-Interpretação e manejo na Clínica Wiicottiana, Ela O. Dias
  • 2015-Dom Quixote, Miguel de Cervantes
  • 2015-Diga aos lobos que estou em casa, Carol R. Brunt
  • 2015-Criaturas de um dia, Irvin Yalom
  • 2015-Como envelhecer, Anne Karpf
  • 2015-As pequenas virtudes, Natalia Ginzburg
  • 2015-A visita cruel do tempo, Jennifer Egan
  • 2015-A mágica da arrumação , Marie Kondo
  • 2015-A grande arrete de ser feliz, Rubem Alves
  • 2015-A filosofia de Rudolf Steiner e a crise dompensamento contemporâneo, Andrew Welburn
  • 2015- Pensar bem nos faz bem, M. S. Cortella
  • 2015- Nao nascemos prontos, M. S. Cortella
  • 2014-Uns cheios, outros em vão, Heloísa Seixas
  • 2014-Um rio chamado tempo, uma casa chamada terra, Mia Couto
  • 2014-Totem e Tabu, S. Freud
  • 2014-Textos de Winnicott
  • 2014-Textos de Pichon Riviere
  • 2014-Textos de Grupos, uma visáo psicanalítica
  • 2014-Textos de Bion
  • 2014-O segredo do meu marido, L . Moriestay
  • 2014-O retrato de Dorian Gray, Oscar Wilde
  • 2014-O nome próprio, Francisco Martins
  • 2014-O fotógrafo, Cristóvão Tezza
  • 2014-Fim, Fernanda Torres
  • 2014-Ensaio sobre a mentira, José Outeiral
  • 2014-Do universo à jabuticaba, Rubem Alves
  • 2014-Conhece-te a ti mesmo, José Outeiral
  • 2014-Adultescer, J. Outeiral
  • 2014-A revolta do corpo, Alice Miller
  • 2014-A festa da insignificância, Milan Kundera
  • 2014-A Ciranda das Mulheres Sábias, Clarissa P. Estés
  • 2014-1Q84, Vol. IIIHaruki Murakami
  • 2013 - Voce já pensou em escrever um livro?
  • 2013 - Subliminar
  • 2013 - Sr. Psicólogo, diga-me como ser feliz
  • 2013 - Por que você é minha - I
  • 2013 - Por que você é minha - II
  • 2013 - Por favor, cuide da mamãe
  • 2013 - Os quatro vínculos
  • 2013 - O Rabino e o Psicanalista
  • 2013 - O psicanalista vai ao cinema
  • 2013 - O oceano no fim do caminho
  • 2013 - O fio das missangas
  • 2013 - Nu, de botas.
  • 2013 - Inferno
  • 2013 - Filosofando no Cinema
  • 2013 - Elogio da mentira
  • 2013 - A vida que vale a pena ser vivida
  • 2013 - A graça da coisa
  • 2013 - A arte de amar
  • 2013 - 1Q84 Vol. II
  • 2013 - 1Q84
  • 2012 - Se eu fechar meus olhos agora
  • 2012 - Rimas de Vida e de Morte
  • 2012 - Profissão: Bebê
  • 2012 - Os sentidos da vida
  • 2012 - O retorno do jovem príncipe
  • 2012 - O clube do filme
  • 2012 - O amor companheiro
  • 2012 - Mulher Desiludida
  • 2012 - Fragmentos Clínicos de Psicanálise
  • 2012 - Feliz por nada
  • 2012 - É tudo tão simples
  • 2012 - Depressão:dos sintomas ao tratamento
  • 2012 - Como manter a mente sã
  • 2012 - Como deixar de ser gordo
  • 2012 - Como amar uma criança
  • 2012 - A queda
  • 2012 - A poesia do encontro
  • 2012 - A felicidade é fácil
  • 2012 - A elegância do ouriço
  • 2012 - A criação, segundo Freud