Páginas

Seguidores

Marcadores

Amigas (9) Blogando... (3) Brasil (4) Cidade (1) Citaçáo (1) DVDs (1) Enquete (1) Família (4) Felipe (2) Férias (1) Festas (4) Filhos (13) Filme (3) Filmes (2) Filosofando (10) Livros (27) Mãe (8) Mulher (7) Música (5) Pai (5) Pausa... (1) Pedro (20) Pensamento (2) Pensando... (21) Piada (2) Poesia (2) Política (9) Refletindo... (40) Tina (1) Viagem (11) Vovó (4)

domingo, 28 de novembro de 2010

Cada um por si...

A cada dia que passa, mais e mais pessoas vão se individualizando, querendo ficar no seu mundinho, adquirindo objetos que os afaste do convívio coletivo.
Estava refletindo, e encontrei um texto do Marcelo Coelho na Folha, que falava exatamente sobre isso(dizem os "experts" em literatura, que tudo o que pensamos alguém já pensou e escreveu, e é quase impossível criar ou escrever algo absolutamente novo).
Voltando ao pensamento do cada um por si, pensei primeiramente em mim mesmo; comprei um iPad, e fiquei enlouquecida por ele. É um "aparelhinho" danado, que me faz ficar perto da família e dos amigos através das fotos e dos emails; dos livros, das músicas e das revistas, porque esses são propósitos verdadeiros dele;  a agenda e os contatos estão alí também; pode ser levado ao banheiro, na bolsa, no consultório, onde voce quiser: é leve, bonito e fácil de manusear.
Pode viajar com a gente, completamente conectado, pois ele tem tecnologia 3G, e por aí vai. Se eu deixar (ou quiser), vou ficar grudada nele, numa relação um tanto perigosa.
M.Coelho escreveu muito bem sobre a "portabilidade" e a "individualização". O exemplo dos "cupcakes" foi genial: "...é uma guloseima dos contos de fadas, com cores suaves, como o rosa-fita-de-cabelo, o azul-xampu, o branco-pompom...éle é mínimo e caro, é na verdade mais um passo na individualização da nossa vida gastronômica...; ele é acinturado, evasivo, portátil; elimina de vez o que os velhos florestas-negras evocavam de festa coletiva; uma fatia de bolo, pressupõe uma reunião em volta da mesa;... introduz, nessas muralhas de resistência afetiva, o espírito do cada um por si."
Ele termina seu interessante texto dizendo que "de coletivo, resta a pizza. Que digo?  Já exixtem à venda, as pizzas feitas como canudos de sorvetes, que se come sem ter de dar satisfação a ninguém." (Folha, Ilustrada, 24/11/10)
Eu finalizo pensando na delícia que é namorar meu marido, na convivência e nos encontros com meus filhos, com minha família e  meus amigos, com o cheiro dos meus livros e minhas revistas, com minha velha agenda, onde risco e  rabisco...e com a alegira da relação já um pouco desgastada com meu "velho amigo iPad..."

13 comentários:

  1. Não podemos nos deixar levar por essa onda.Temos que conviver com os de casqa e alguns de fora. Não gosto de ajuntamentos e festas chatas, mas gosto dos meus por perto...Se cada um ficar na sua, temos que mandar email dentro de casa,rsrs...beijos,chica

    ResponderExcluir
  2. OI QUERIDA, TUDO DE BOM PARA VC, ESTOU AGRADECENDO PELA VISITA E O COMENTÁRIO E TE ACOMPANHANDO TAMBEM.OS LIVROS SEMPRE FORAM OS MEUS COMPANHEIROS, TIVE UMA INFANCI A SOLITÁRIA, ERA EU E DOIS MENINOS, PASSEI POR TODAS AS ETAPAS, DESDE O POLICIAL DE MISTÉRIO, ROMANTICOS, AGORA ESTOU LENDO ENTRE OUTROS AS BIOGRAFIAS,UMA DAS MAIS BELAS QUE LÍ FOI A DE PABLO NERUDA, "CONFESSO QUE VIVI" INFELISMENTE SÓ EXISTE NOS SEBOS.UM ABRAÇO CELINA.

    ResponderExcluir
  3. Querida,
    Quanto tempo!

    É, cada vez fica mais dificil ficar com a família e a família ficar com a gente diante de tantas companhias tecnologica. Aqui em casa até a pequena Bruna já não sente mais a minha falta como antes. Está sempre ocupado com alguma coisa. Triste, não? Mas de vez em quando a gente foge para algum lugar onde nada disso funciona e vemos que isso nos faz muito bem.

    Beijo

    Iram

    ResponderExcluir
  4. Sonica,
    Também li esse texto do Marcelo Coelho e achei interessantíssimo. Nunca havia pensado nessa individualização, que está avançando até pela culinária: cupcakes, verrines ...
    Mas sempre haverá haverá as pizzas e as feijoadas para serem partilhadas.
    bjs

    ResponderExcluir
  5. Gente, mas o que eu faço com essa sogritcha???? Socorro, senhor!!! E não é isso mesmo, Sonica? Não é incrível esse monte de 'eus virtualizados'???
    Estou lendo Cybercultura (Piérre Levy). Lindo sogritcha. Um filósofo atual, moderno, crítico e bem otimista.
    Adorei ler este post bem na semana em que estou com este livro nas mãos. Veio num momento especial.
    beijos
    Norita

    ResponderExcluir
  6. Oi flor
    Cada dia aparece mais coisas modernas, mas sou franca em dizer q sinto falta de reunir familia, pipoca e dvd, bolinho de chuva, tardes na piscina em familia, hj falo com meu filho ali no quarto aqui pelo msn, e cada fez ficamos mais distantes com tanta tecnologia.
    Uma bela quarta
    Beijosss

    ResponderExcluir
  7. Oi,Sonica!Td bem?Nossa realmente estamos cada vez mais individualistas,mais sozinhos,mais carentes e com medo de relações sérias de envolvimento.
    Mas ocm certeza nada substitui o calor de um abreaço, de um afago, temos que usufruir da tecnologia com moderação.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Ai Suninha, só vc mesmo! Adorei a história do cup cake! Se eu fosse vc aroveitaria muito o iPad agora, pois a partir de 18/12 vc nao vai mais olhar para ele, né?!
    bjs

    ResponderExcluir
  9. Oi Sonica, como vai? Saudades de você, sabia! Ler seus textos bate sempre um ânimo. Muito bom. Quanto ao cada um por si.... penso que isso é uma coisa que não tem mais volta. Cada vez mais as coisas vão se individualizando, se virtualizando, se conectando... e com isso vamos ficando cada vez mais sozinhos e com amigos virtuais. Com tanta violência e absurdos que ouvimos e vimos acontecer, sair de casa realmente tem ficado cada vez mais perigoso. E aí, nos resta a internet para falar com familiares e amigos, dvds pra assistirmos a filmes, ipads para lermos livros e revistas... é bom tb, mas dá mesmo saudade de quando uma sala era pequena pra tantos amigos e familiares juntos, né! Gde bj da Fabi.

    ResponderExcluir
  10. Amigos queridos,
    estou sem Internet em casa, por isso estou simida. Logo q o problema for sanado, volto com certeza!
    Bjs

    ResponderExcluir
  11. Lindo post, querida!
    Talvez...
    a tecnologia seja um mecanismo de solidão.

    Bjks

    ResponderExcluir
  12. Oi,Sonica!Saudades de ti!Uma ótima semana!
    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Pode parecer antiguado......mais ainda faço questão dos cafés da manhã juntos.......pelo menos aos domingos........q se prolongam ate depois do almoço.
    E de reunir amigos e seus amigos pelo menos 1 xs ao mes para inventarmos comidinhas e trocarmos papos.

    e por mais antigo q possa parecer,eu e meu filho mais novo q tenhos horarios malucos e as vezes não conseguimos nos encontrar,trocamos bilhetinhos todos os dias.


    gostoso guardar palavras e letras.

    carinho
    Denise a antiguada rsrsrsrs

    ResponderExcluir

Livros, meu relax n. 1:2016,2015,2014,2013, 2012, 2011, 2010 , 2009

  • Vivências de um psicanalista
  • Um sentido para a vida
  • Sobre a amizade e outros diálogos
  • Segredos e atalhos do iPad - 2011
  • Quase tudo
  • Putz, virei minha mãe!
  • Purgatório
  • Psicanálise dos Milagres de Cristo - 2011
  • Poemas completos de Alberto Caieiro
  • Pense Magro
  • Pensar é transgredir
  • Os catadores de conchas
  • O show do eu
  • O mundo pós-aniversário
  • O monge e o executivo
  • O menino do pijama listrado
  • O livro das ignorãças
  • O livro da sabedoria
  • O estrangeiro
  • O caçador de pipas
  • O brincar e a realidade
  • No divã do Gikovate
  • Niketche - 2011
  • Nietzsche para estressados - 2011
  • Na presença do sentido
  • Millenium
  • Mentes Perigosas
  • Memórias das minhas putas tristes
  • Me larga!
  • Marley e eu
  • Mamãe, posso namorar pelado?
  • Mamãe e o sentido da vida - 2011
  • Longe daqui
  • Leite derramado
  • Ilha Deserta - Livros
  • Ilha Deserta - Filmes
  • Histórias das minhas putas tristes
  • Hamlet
  • Freud - Vol.XIV - 2011
  • Freud - Vol. XXIII
  • Freud - Vol. XXII - 2011
  • Freud - Vol. XXI
  • Freud - Vol. XVIII - 2011
  • Freud - Vol. XVII
  • Freud - Vol. XIX - 2011
  • Freud - Vol. XII
  • Freud - Vol. XI
  • Freud - Vol. VII
  • Freud - Vol. V - 2012
  • Freud - Vol. IX
  • Fora de mim - 2011
  • Família de alta perfomance
  • Fadas no divã, Diana L. Corso e Mario Corso
  • Fadas no divã
  • Eu sei que vou te amar
  • Enquanto o amor não vem
  • Doidas e santas
  • Divã
  • De frente para o Sol - 2011
  • Crime e castigo
  • Conversas sobre terapia
  • Contra um mundo melhor -2011
  • Comer,rezar,amar
  • Cartas a um jovem poeta
  • Caim
  • As pequenas memórias
  • As intermitências da morte
  • Amor é prosa, sexo é poesia
  • Alter Ego
  • Agape - 2011
  • Aforismos - 2011
  • A trama do equilibrio psiquico
  • A sabedoria dos mitos gregos - Aprender a Viver II - 2011
  • A sabedoria da vida
  • A idade dos milagres
  • A história de Edgard Sawtelle
  • A doçura do mundo - 2011
  • A cidade do sol
  • A Cabana
  • 2016-Verdades e Mentiras, Cortella, Dimenstein, Karnal e Pondé
  • 2016-Pressentimentos e suspeitas, Ivo Storniolo
  • 2016-O poder do discurso materno, Laura Gutman
  • 2016-O oitavo selo, Heloisa Seixas
  • 2016-O ano do pensamento mágico, Joan Didion
  • 2016-Mulheres de cinza, Mia Couto
  • 2016-Freud, obras completas, vol. 18
  • 2016-Felicidade ou Morte, Clovis de Barros Filho e Karnal
  • 2016-Enclausurado, Mc Ewan
  • 2016-Dias de abandono, Elena Ferrante
  • 2016-Depois a louca sou eu, Tati Bernardes
  • 2016-Como eu era antes de você, Jojo Moyes
  • 2016-Ah, que bom que eu sei, Brugitte Gross e Jakob Scheneider
  • 2016-A Peste, Albert Camus
  • 2016-A noite do meu bem, Ruy Castro
  • 2016-A felicidade é fácil , Edney Silvestre, Segunda Leitura
  • 2016-A árvore familiar, Denny Johnson
  • 2016-A alma imoral, Nilton Bonder
  • 2016- O livro dos insultos, H.L. Mencken
  • 2015-Tomar a vida nas próprias mãos , Gudrun Burkhard
  • 2015-Pimentas, Rubem Alves
  • 2015-Pequeno tratado das grandes virtudes - André Comte-Sponville
  • 2015-Pai rico pai pobre - Robert T. Kiyosaki
  • 2015-Os amigos, Hamlet L. Quintana
  • 2015-Onde foi que eu acertei? Francisco Daudt
  • 2015-O sol é para todos", Harper Lee
  • 2015-O que a vida me ensinou, Mario Cortella
  • 2015-O incolor Takurukami..., Haruki Murakami
  • 2015-O brilho do bronze, Boris Fausto
  • 2015-Numero Zero, Umberto Eco
  • 2015-Na berma de nenhuma estrada, Mia Couto
  • 2015-Interpretação e manejo na Clínica Wiicottiana, Ela O. Dias
  • 2015-Dom Quixote, Miguel de Cervantes
  • 2015-Diga aos lobos que estou em casa, Carol R. Brunt
  • 2015-Criaturas de um dia, Irvin Yalom
  • 2015-Como envelhecer, Anne Karpf
  • 2015-As pequenas virtudes, Natalia Ginzburg
  • 2015-A visita cruel do tempo, Jennifer Egan
  • 2015-A mágica da arrumação , Marie Kondo
  • 2015-A grande arrete de ser feliz, Rubem Alves
  • 2015-A filosofia de Rudolf Steiner e a crise dompensamento contemporâneo, Andrew Welburn
  • 2015- Pensar bem nos faz bem, M. S. Cortella
  • 2015- Nao nascemos prontos, M. S. Cortella
  • 2014-Uns cheios, outros em vão, Heloísa Seixas
  • 2014-Um rio chamado tempo, uma casa chamada terra, Mia Couto
  • 2014-Totem e Tabu, S. Freud
  • 2014-Textos de Winnicott
  • 2014-Textos de Pichon Riviere
  • 2014-Textos de Grupos, uma visáo psicanalítica
  • 2014-Textos de Bion
  • 2014-O segredo do meu marido, L . Moriestay
  • 2014-O retrato de Dorian Gray, Oscar Wilde
  • 2014-O nome próprio, Francisco Martins
  • 2014-O fotógrafo, Cristóvão Tezza
  • 2014-Fim, Fernanda Torres
  • 2014-Ensaio sobre a mentira, José Outeiral
  • 2014-Do universo à jabuticaba, Rubem Alves
  • 2014-Conhece-te a ti mesmo, José Outeiral
  • 2014-Adultescer, J. Outeiral
  • 2014-A revolta do corpo, Alice Miller
  • 2014-A festa da insignificância, Milan Kundera
  • 2014-A Ciranda das Mulheres Sábias, Clarissa P. Estés
  • 2014-1Q84, Vol. IIIHaruki Murakami
  • 2013 - Voce já pensou em escrever um livro?
  • 2013 - Subliminar
  • 2013 - Sr. Psicólogo, diga-me como ser feliz
  • 2013 - Por que você é minha - I
  • 2013 - Por que você é minha - II
  • 2013 - Por favor, cuide da mamãe
  • 2013 - Os quatro vínculos
  • 2013 - O Rabino e o Psicanalista
  • 2013 - O psicanalista vai ao cinema
  • 2013 - O oceano no fim do caminho
  • 2013 - O fio das missangas
  • 2013 - Nu, de botas.
  • 2013 - Inferno
  • 2013 - Filosofando no Cinema
  • 2013 - Elogio da mentira
  • 2013 - A vida que vale a pena ser vivida
  • 2013 - A graça da coisa
  • 2013 - A arte de amar
  • 2013 - 1Q84 Vol. II
  • 2013 - 1Q84
  • 2012 - Se eu fechar meus olhos agora
  • 2012 - Rimas de Vida e de Morte
  • 2012 - Profissão: Bebê
  • 2012 - Os sentidos da vida
  • 2012 - O retorno do jovem príncipe
  • 2012 - O clube do filme
  • 2012 - O amor companheiro
  • 2012 - Mulher Desiludida
  • 2012 - Fragmentos Clínicos de Psicanálise
  • 2012 - Feliz por nada
  • 2012 - É tudo tão simples
  • 2012 - Depressão:dos sintomas ao tratamento
  • 2012 - Como manter a mente sã
  • 2012 - Como deixar de ser gordo
  • 2012 - Como amar uma criança
  • 2012 - A queda
  • 2012 - A poesia do encontro
  • 2012 - A felicidade é fácil
  • 2012 - A elegância do ouriço
  • 2012 - A criação, segundo Freud